O Mundo Gira, A Lusitana Roda…

2012/09/03

ASTRONAUTA DE MÁRMORE

Filed under: A real do mundo real — trezende @ 09:02

Antony Dubber trabalha num dos lugares mais remotos, perigosos e, ao mesmo tempo, lindos do planeta.
Há três anos ele é chef de cozinha na “Halley Research Station is Britain”, a base britânica na Antártida. É ele quem prepara a comida dos 14 cientistas, engenheiros, médicos e equipe de apoio que vivem na estação.
“O inverno dura de fevereiro a dezembro e nós já tivemos 100 dias de escuridão total e temperaturas de 50 graus negativos. Se você pisa lá fora, mesmo que por alguns segundos, você tem que usar óculos de proteção para evitar que seus olhos congelem quando você pisca”, diz ele ao jornal “The Daily Mail”.
No fim de fevereiro, um barco traz todos os suprimentos necessários para a equipe. “O verão é a época mais ocupada por aqui. É quando tenho que cozinhar para 90 pessoas diariamente”. Segundo ele, os funcionários comem cinco vezes por dia.
Antes de se tornar chef na base britânica, Antony Dubber trabalhava numa indústria farmacêutica e tinha uma função “previsivelmente entediante”: basicamente preparar canapés.
Um dia, folheando uma revista, viu um anúncio que lhe chamou a atenção: “Você vai achar nosso freezer um pouco maior do que o que está acostumado”.
A “Halley Research Station is Britain” é o centro para pesquisas atmosféricas e glaciais. Foi lá, em 1985, que foram descobertos os buracos na camada de ozônio.
Antony ganha 30 mil euros por ano e diz que apesar do inverno, a noite pode ser espetacular.
“A Antártida é extraordinária. Este é o meu terceiro ano aqui. Amo o frio, a neve e as impressionantes auroras. À noite o céu se ilumina com os satélites e as estrelas cadentes, mas só através das fotos as pessoas podem ter uma noção de como é a vida aqui. Elas pensam que a Antártida é um branco sem fim, mas está em constante mudança”.
Ele se orgulha de conseguir preparar um menu variado.
“Tenho que imaginar o quanto de comida vou precisar para aguentar até o fim do inverno. Todo mundo sabe que uma vez que o navio com os suprimentos vai embora, não tenho como ir ao supermercado mais próximo”.
O estabelecimento mais perto fica a mais de 3 mil km dali – no Chile.
A maior parte da carne é congelada, mas Antony aprendeu como conservar frutas e vegetais para durarem de fevereiro a agosto.
“Temos freezers imensos e despensas secas. A única coisa de que sinto falta são ervas frescas porque estragam com muita facilidade. Também sinto falta de carne com osso, mas aqui há uma política de ‘não-osso’ por causa do tratado de proteção ambiental”.
Ele explica que como os restos de comida são enterrados no gelo, até os ossinhos de aves podem estar infectados com vírus e podem afetar a colônia de pinguins imperadores.
O consumo de álcool é limitado a duas latinhas de cerveja por dia. O champanhe é reservado para aniversários e datas especiais.
Quando o Sol se vai, Antony garante que não se chateia. “Há uma academia aqui e nós assistimos muitos filmes, jogamos muito. Mas sinto realmente falta é de um banho. Cada gota d’água aqui é gelo derretido. Todos os dias temos de derreter um pouco. Podemos tomar um banho de dois minutos por dia”, conta.
“Já passei três aniversários aqui e sempre acampo sob as estrelas. A temperatura chega a 45 graus negativos, mas não há nenhum outro lugar na Terra onde eu gostaria de estar”.

Vejam as fotos feitas por Antony AQUI

Anúncios

1 Comentário »

  1. Achei muito interessante este material, recomendo.

    Comentário por Marmores e Granitos — 2013/04/04 @ 12:00


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: