O Mundo Gira, A Lusitana Roda…

2012/08/25

PREGUICINHA

Filed under: Diário de bordo — trezende @ 09:44

Barreirinhas é uma espécie de remédio dois em um. É o lugar perfeito para descansar as vistas das mazelas de São Luís e encher as retinas novamente com as belezas naturais da região dos Lençóis Maranhenses.
Tão brejeiro quanto o nome da cidade é o lugar, localizado a quatro horas da capital. A estrada, bem conservada, é praticamente uma reta só, mas pontuada por lombadas. Talvez o nome do município tenha vindo daí: das inúmeras “barreirinhas” do caminho.
Nada que atrapalhe o sono.
Barreirinhas é uma cidade pobrezinha que (ainda) não explora os turistas.
É em torno do rio Preguiças que tudo acontece. É dele que a população tira seu sustento – seja através da pesca, dos empregos oferecidos por dois resorts às margens do rio ou dos passeios que exploram as belezas de seu curso e de suas margens.
O percurso que leva aos povoados de Mandacaru (onde está o Farol Preguiças, numa área da Marinha do Brasil), Caburé e Atins é uma maravilha. De vez em quando, entre os igarapés, surgem imensas dunas e pequenos povoados.
Só o passeio pelo rio Preguiças já vale a visita.
A entrada para o Parque Nacional dos Lençóis fica a cerca de 2 km de Barreirinhas, do outro lado do rio Preguiças. Portanto, é preciso atravessá-lo de balsa.
A maior aventura não é alcançar a cidade ou subir e descer as imensas dunas de areia. É chegar às dunas em jipões 4×4 cujas carrocerias recebem bancos e se transformam numa espécie de pau-de-arara turístico.
No trajeto, que deve durar cerca de uma hora, os veículos sacolejam por uma longa extensão dentro das trilhas de areia do Parque Nacional dos Lençóis. É preciso agarrar-se com força às barras na frente dos assentos sob o risco de ser jogado para fora do carro.
Como os veículos são proibidos de circularem pelas dunas, eles descarregam os turistas no pé de uma delas e o que prometia ser um passeio contemplativo revela-se um bom teste físico.
São necessárias panturilhas fortes e olhos bem abertos para admirar a beleza das dunas e das lagoas que se formam entre elas – neste ano, apenas duas por causa do baixo índice de chuvas.
Ao fim da caminhada, o brinde é assistir ao por do sol do alto de uma das dunas.
Só depois da experiência do dia passamos a entender o motivo de o rio ter recebido o nome de Preguiças.

Vejam fotos AQUI

Anúncios

Deixe um comentário »

Nenhum comentário ainda.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: