O Mundo Gira, A Lusitana Roda…

2012/06/24

UM MINUTO DE SILÊNCIO

Filed under: Cri-crítica — trezende @ 09:04

“E Aí… Comeu?” foi descrito pelo produtor Augusto Casé como uma “comédia de costumes romântica atrevida”. Não sei em que século vive Augusto Casé, mas desde quando falar palavrão é atrevimento?
O filme, baseado em texto de Marcelo Rubens Paiva, é um compêndio de lugares-comuns e clichês.
Com o álibi de ser “uma declaração de amor às mulheres”, o novo trabalho do diretor Felipe Joffily – o mesmo de “Muita Calma Nessa Hora” – reúne três amigos para, supostamente, falar tudo sobre sexo, mulheres e relacionamentos sem moralismos ou censura.
O clichê começa já no perfil do trio de protagonistas: o recém-separado (Bruno Mazzeo), o casado (Marcos Palmeira) e o solteiro convicto (Emílio Orciollo Netto). Depois, pela ambientação – que outro lugar senão a mesa do bar seria o cenário ideal para fazer comentários escrachados sobre o tamanho do órgão sexual masculino, tirar dúvidas sexuais, avaliar a performance das parceiras e inventar classificações para os tipos de mulheres?
Depois de usarem todos os verbetes do dicionário de lugares-comuns da Língua Portuguesa, os três concluem que não vivem sem elas.
Para reforçar o romantismo um dos personagens recorre até a um trecho de “Wave” e afirma que “é impossível ser feliz sozinho”. Afinal, estamos diante de uma comédia que além de “atrevida” é “romântica”, lembram-se?
Não são os palavrões, o machismo ou a linguagem chula de Marcelo Rubens Paiva que incomodam. Tudo isso, no fundo, é uma grande bobagem. Incomoda a obviedade. Sem falsa modéstia, qualquer um escreveria os diálogos de “E Aí… Comeu?”. Basta folhear revistas femininas ou assistir aos filmes do pessoal do “Casseta & Planeta” ou aos anteriores de Bruno Mazzeo.
O grande mistério é Mazzeo, “uma das novas caras do humor brasileiro”, se meter sempre em roubadas. Por quê? Porque financeiramente elas devem valer muito a pena. É a única explicação plausível para o envolvimento do ator em bombas como “Cilada.com” e “Muita Calma Nessa Hora” – filme que, aliás, terá uma continuação.
Se apesar de tudo o ator ainda insiste é porque conta com a aprovação do povão, que tem garantido ótimas bilheterias para todas as comédias nacionais recentes.
Estando bom para as ambas as partes, o melhor é nos retirarmos silenciosamente. Em protesto.

Anúncios

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.