O Mundo Gira, A Lusitana Roda…

2012/06/09

DR. COLOSSO

Arquivado em: A real do mundo real — trezende @ 10:55

Quem não tem cachorro precisa aprender a lidar com duas situações delicadas: pisar no cocô não recolhido pelo dono mal educado e, principalmente, ouvir latidos estridentes num domingo de manhã.
Quem não tem cachorro também nunca deve ter ouvido falar que há maneiras de fazer o cão parar de latir sem a necessidade de gritar mandando-o para a casinha ou jogando objetos no bichinho.
Graças à descoberta de um site chamado “Veterinary Secrets” um novo mundo se abriu. Escrito pelo Dr. Andrew Jones, ele traz dicas úteis e interessantes para donos de cães.
(Pela foto que ilustra a página – que mostra um galã loiro com um cachorrinho no colo – não restam dúvidas: Dr. Andrew é o Dr. Rey dos veterinários).
Mas ao contrário do colega das cirurgias plásticas, Dr. Andrew é mais ponderado no quesito bisturi. Ele começa o post sobre latidos dizendo que esse é um comportamento normal – ótimo para a comunicação do animal – mas que irrita do vizinho ao carteiro. “Mas você vai descobrir que a cirurgia nunca é aconselhada e é considerada antiética”.
Cirurgia para fazer o cão parar de latir? Essa é novidade.
Antes de dar as dicas para silenciar os cachorros, Dr. Andrew explica que o principal é o dono identificar a causa do latido excessivo. Há inúmeros motivos que levam o animal a isso: brincadeira, dar um aviso ao dono, sinal de ansiedade ou medo, responder a outros cães ou simplesmente chateação.
“A ventriculocordectomia é um procedimento no qual as cordas vocais do cachorro são removidas. A operação é ilegal no Reino Unido e em vários países que fazem parte da Convenção Europeia de Proteção aos Animais de Estimação. A cirurgia tem uma série de riscos, como anestesia, excesso de sangramento, infecções secundárias e fibrose que impede a passagem do ar. Latir é a maneira que os cães se comunicam e esse procedimento os priva de seus meios básicos de expressão. Nunca considere esse procedimento como uma opção para o seu cachorro”, diz o Dr. Andrew.
Por outro lado, aconselha o doutor, gritar “pare de latir” ou “fique quieto” só vai fazer com que o animal faça ainda mais barulho. “Seu cachorro chama sua atenção quando late e alguns acham melhor ter essa do que ter nenhuma. Colares de choque são dolorosos e podem tornar o cão mais agressivo”.
Colar de choque? Esse também é novidade. Será que já existe a versão humana?
Dr. Andrew recomenda ainda não dar atenção positiva imediatamente após o latido. A dica é identificar quando ele vai começar a latir e brecá-lo antes. O ideal é iniciar um treinamento básico e recompensá-lo com coisas gostosas. “Tenha certeza de que a recompensa será dada quando ele responder positivamente ao seu chamado – nunca em caso negativo. Mantenha o padrão chamamento, vinda, recompensa e afago todas as vezes em que ele latir”.
Outras dicas importantes são: manter seu cão longe dos lugares onde ele está acostumado a latir (se ele late em resposta à campainha, remova-a) e instituir uma rotina de exercícios físicos (essa é melhor maneira de resolver os problemas caninos porque combate a ansiedade).

Confiram o site AQUI

O tema Rubric Blog no WordPress.com.