O Mundo Gira, A Lusitana Roda…

2011/12/13

UMA DROGA DE ROTEIRO

Filed under: A real do mundo real — trezende @ 09:06

Triste do povo que precisa de heróis.
A frase, atribuída a Bertold Brecht, talvez nunca tenha sido proferida pelo dramaturgo alemão, mas a afirmação rende uma boa discussão. Mas, e quando o herói é um criminoso?
Pior ainda.
“Londres teve seu Jack, O Estripador. Chicago, o seu Al Capone. Medellín também tem seu filho infame: Pablo Escobar”, diz o “The Wall Street Journal”.
A reportagem conta que a cidade colombiana tem oferecido roteiros turísticos para quem quer conhecer um pouco mais sobre a vida do famoso traficante.
“Nós o levaremos aos lugares em que ele viveu e morreu. Você vai poder até sentar na moto em que Pablo realizou sua primeira fuga”, explica o guia turístico Juan Uribe.
O passeio começou no ano passado e os tíquetes foram vendidos em apenas um mês.
O roteiro de quatro horas custa U$ 30 e leva o turista ao túmulo de Escobar, à casa em que ele foi morto pela polícia e ao local nas montanhas em que ele morou até seu falecimento. Lá os visitantes encontram Roberto Escobar, o irmão mais velho do traficante, que topou contribuir com as agências turísticas em troca de uma módica quantia.
Roberto está com 63 anos e ficou meio cego e meio surdo após abrir uma carta-bomba ao cumprir seus dez anos de pena num presídio.
Uma das operadoras que oferece o passeio – a “See Colombia Travel” – defende sua excursão dizendo que “o barão das drogas é parte da história rica e colorida da Colômbia” e compara o tour Escobar àqueles feitos aos campos de concentração nazistas e ao tour rodoviário de Chicago que apresenta a máfia e Al Capone.
“Sabíamos que não podíamos banir os passeios”, diz a secretária de Turismo de Medellín, Madeleine Torres. “Por outro lado, ficamos com medo de que eles promovessem justamente o que estamos tentando apagar – a conexão que as pessoas fazem entre Colômbia e cocaína”.
Receosa, a secretária mandou alguns emissários acompanharem secretamente a visita junto a turistas estrangeiros. “Queríamos saber o que os guias estavam dizendo”, conta ela, que ficou satisfeita ao descobrir que Pablo Escobar é descrito como traficante e matador cruel.
Filho de professora, Pablo Escobar começou a carreira como Ronaldo Ésper terminou a sua: roubando lápides em cemitérios. Ele também vendeu cigarros contrabandeados e bebidas alcoólicas antes de se dedicar à cocaína. Em 1989, Escobar ocupou o sétimo lugar no ranking dos mais ricos do mundo elaborado pela revista “Forbes”. Na época, ele tinha 25 bilhões de dólares em seu nome. Pablo morreu em 1993, aos 44 anos.
Nydia Quintero Turbay – primeira-dama colombiana entre 1978 e 1982 que teve sua filha sequestrada pela gangue de Escobar – crê que o tour de Medellín é uma vergonha.
“Esse passeio não me parece apropriado. Não entendo qual é a motivação para oferecer um roteiro como esse. Pablo Escobar e seus companheiros eram pessoas cruéis, brutais e insensíveis”.
Nem todo mundo pensa assim. Há quem faça o passeio como um meio para prestar homenagens – graças à fama de Robin Hood de Pablo Escobar. Várias foram as vezes em que os moradores de Medellín ajudavam o traficante omitindo informações das autoridades ou até o escondendo dentro de casa.
Carlos Arbelaez, morador da periferia da cidade, diz: “As pessoas falam que ele foi terrível. Eu entendo e até acho que praticou coisas ruins, mas para os pobres ele fez o bem”.
Então tá. Cada país tem o herói que merece.

Anúncios

1 Comentário »

  1. Eu acho que é o fascínio que as pessoas do mal provocam no imaginário coletivo é que leva a esse tipo de coisa. Assim como o cinema faz com vários bandidos. A arte, no caso, é uma purgação do estado de barbárie humana, se vista como uma negação dos feitos dos chamados fora da lei. Não sei, só acho.rsrs.

    PS: sobre a frase atribuida a Breccht, creio que li sobre isso na condenação de Galileu pela inquisição, na peça dele(Brecht) de mesmo nome. Vou consultar, pois ainda tenho o livro.

    Abraços.

    Comentário por josé cláudio - Cacá — 2011/12/13 @ 09:46


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: