O Mundo Gira, A Lusitana Roda…

2011/11/29

UMA VIDA DE CÃO

Filed under: Absurdos nossos de cada dia — trezende @ 10:38

Essa é para quem sempre achou que o buldogue é um cachorro que tem cara de triste.
Uma reportagem do “The New York Times” – “Can the Bulldog Be Saved?” (“O buldogue pode ser salvo?”) comprova que não é impressão. Eles são realmente cães sofredores.
Os buldogues são uma espécie de bonsai do mundo canino.
Apesar de serem adorados pelos donos por sua alegria e simpatia, a raça tem tudo o que é tipo de problema de saúde. O buldogue apresenta problemas cardíacos, respiratórios, imunológicos, neurológicos, locomotores e ainda dificuldades para cruzar, para dar à luz e ainda por cima é o cão que mais solta puns.
Ele vive, em média, seis anos.
O buldogue sofreu diversas modificações durante os tempos. Na França, na Holanda e na Inglaterra do século 19 eram comuns os “bull-baiting”, combates entre cães e touros.
Para isso, eles deveriam ter algumas características que facilitassem o desempenho durante a luta, como as extremidades e o nariz curto.
Mas, além de desejarem um bom cão de combate, os donos queriam também um bom cão de companhia. A criação de buldogue tornou-se um negócio altamente rentável.
Segundo o “The New York Times”, um documentário inglês escancarou o problema: “Pedigree Dogs Exposed”. Mas os criadores do Kennel Club Britânico negam que o cão seja um sofredor.
Brenda Bonnett, epidemiologista e consultora veterinária, diz que o buldogue tem mais problemas de saúde do que qualquer outra raça. Além dos já citados, ele pode ter infecções de pele e problemas nos ouvidos e nos olhos.
Mas por que uma pessoa escolhe ter um bulldog? Basicamente porque são brincalhões e têm uma aparência quase humana, diz a reportagem.
“De uma certa forma, nós acentuamos algumas características para que eles parecessem mais humanos. Nós criamos buldogue por causa de seu rosto plano, seus olhos, boca e sorriso grandes”, diz James Serpell, diretor do Centro Para a Interação Entre Animais e a Sociedade da Universidade da Pensilvânia.
Um especialista em dentição canina explica ao jornal que encurtaram tanto o rosto do cão que não há espaço para tudo se ajeitar lá dentro. “A língua, o palato, tudo está comprimido. Os dentes parecem que foram arremessados, as narinas são pequenas e o resultado é que um buldogue mal consegue respirar”, diz o Dr. William Rosenblad.
Até para transar e comer ele tem dificuldades. Além da comida, ele engole ar, o que causa constantes vômitos. Por isso o dono precisa estar sempre de olho para o caso de o cachorro precisar de uma ajuda para arrotar.
Segundo os especialistas, há opções de cirurgia para a correção desses males, mas uma operação num buldogue é complicada porque, sob anestesia, os tecidos e os músculos atrás da garganta do cão ficam relaxados e bloqueiam a passagem do ar. Qualquer intervenção cirúrgica é perigosa para eles.
Quem pode ser feliz com tantas limitações?

Anúncios

3 Comentários »

  1. “Problemas cardíacos, respiratórios, imunológicos, neurológicos, locomotores e ainda dificuldades para cruzar”. Se não citasse o buldogue logo no início do post, iria jurar que era uma tia minha…

    Comentário por Joubert — 2011/11/29 @ 13:13

  2. A coisa mais engraçada é ver buldogue anestesiado. O bicho ronca pior que velha

    Comentário por Krause — 2011/12/09 @ 11:51

  3. Tati, taí um típico caso de “pioramento” genético de raças. Pobres cãezinhos… Beijos.

    Comentário por Vaninha — 2011/12/11 @ 18:46


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: