O Mundo Gira, A Lusitana Roda…

2011/11/08

MAMÃE É DE MORTE

Filed under: Absurdos nossos de cada dia — trezende @ 10:52

Desejo de grávida é sempre por algo estranho: tijolo, gelo, carvão, pasta de dentes, sabão ou o que mais a imaginação mandar.
É raro encontrar uma grávida que tenha tido vontade de comer um simples pão com ovo, um hambúrguer ou uma maçã.
Mas nem o mais bizarro dos desejos se compara ao de Alison Brierley, uma artista e taxidermista profissional que mora em Harrogate, cerca de 350 km ao norte de Londres.
“Geralmente eu me alimento de forma absolutamente saudável, mas agora tenho tido desejo de comer a carne de animais atropelados. É mais suculenta do que qualquer outra e eu amei o sabor”.
Desde que ficou grávida, em vez de usar algumas partes dos bichos para produzir suas bijuterias, Alison encontrou um novo uso para os cadáveres.
“Estou com um cuidado extra para manusear as carcaças. Sempre uso luvas. Não quero correr o risco de pegar nenhuma infecção que possa prejudicar o bebê”.
“Tenho tido desejo de junk food, mas não combina muito comigo. Então tenho comido mais carne de atropelados e carne vermelha de maneira geral. Provavelmente porque preciso de todo o ferro para produzir células vermelhas extras”.
Ela e o marido admitem já ter experimentado atropelados antes – como uma carne de veado em viagem recente aos Estados Unidos.
A ousadia de Alison não para por aí. Ela costuma realizar jantares em casa para seus amigos com a carne dos atropelados. “Eles confiam em mim e sabem que sou boa cozinheira”.
Segundo ela, alguns deles inclusive telefonam quando veem algum animal morto na estrada. “A melhor é a A61, que vai para Ripon. É definitivamente a mais frutífera”.
Alison conta que a maioria de suas incursões é ocasional – ela não sai à procura de carcaças.
“A primeira vez que peguei um bicho foi quando passei por um faisão e pensei: ‘Vou comê-lo’. Levei-o para casa, deixei-o marinando no azeite por quatro dias e depois fiz uma espécie de faisão frito à Kentucky”.
Alison já experimentou lebre, veado, pombo, coelho, coruja e perdiz, mas o prato básico é mesmo o faisão.
“Ainda quero provar raposa e texugo, mas eles nunca estão em boas condições. Tenho usado mais para o meu trabalho”.
Alison crê que seu estilo de vida é o melhor para o meio ambiente. Ela conta que quis revelar seu comportamento alimentar atípico porque quer despertar a consciência sobre a origem da comida.
“Algumas pessoas são tão blasé na hora de escolher um alimento no supermercado e nem pensam de que forma certos animais vivem ou como foram mortos”.
Já pensaram se Alison fosse médica legista?
O bebê – um menino – deve nascer em fevereiro.

Anúncios

2 Comentários »

  1. Tem que deixar essa criatura marinando por cinco dias…

    Beijocas!

    Comentário por Selma Barcellos — 2011/11/08 @ 17:51

  2. E o maridão, unidos para sempre acompanha.

    Comentário por Juventino — 2011/11/08 @ 19:40


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: