O Mundo Gira, A Lusitana Roda…

2011/10/16

O FRIO NOS FAZ BEM

Filed under: A real do mundo real — trezende @ 09:31

 O melhor lugar para ser mulher no mundo é na Islândia.
É o que indica o “Relatório do Progresso Global das Mulheres” realizado pela revista “Newsweek”, que analisou 165 países para descobrir os melhores e os piores lugares do planeta para ser mulher.
Apesar de o Brasil ter ficado em 84º lugar, Dilma é quem estampa a capa, cuja edição é dedicada ao tema.
O título: “Where Women Are Winning” (“Onde as Mulheres Estão Ganhando”), seguido de uma foto de Dilma de pé, em desfile em carro aberto durante sua posse.
Para medir a condição do progresso feminino, a “Newsweek” analisou cinco áreas: tratamento perante a lei, participação na força de trabalho, poder político, acesso à educação e à saúde.
Os dados foram conseguidos junto à Organização das Nações Unidas e ao Fórum Econômico Mundial, entre outros, e foram consultados especialistas e acadêmicos, que levaram em consideração 28 fatores para elaborar o ranking.
Em primeiro lugar está a Islândia. A Suécia vem em segundo e o Canadá em terceiro. Em quarto lugar está a Dinamarca, seguida de Finlândia, Suíça e Noruega. Os Estados Unidos ficaram em 8º lugar, já a Austrália e a Holanda não estão entre os “top ten”.
Coincidentemente todos os melhores colocados são países frios.
“Há já mais de uma década no século 21, o progresso feminino pode ser visto – e celebrado – em diferentes áreas. Elas exercem as mais altas posições políticas da Tailândia ao Brasil, da Costa Rica à Austrália. Uma mulher ocupa um alto posto no Fundo Monetário Internacional; outra ganhou o Prêmio Nobel de Economia. Bilionárias por conta própria em Pequim, inovadoras da tecnologia no Vale do Silício, pioneiras na magistratura em Gana – nessas e em outras incontáveis áreas as mulheres estão deixando sua marca”.
Em inúmeros lugares não há motivo para comemoração. Na Arábia Saudita as mulheres ainda não podem dirigir. No Paquistão, milhares morrem assassinadas todos os anos. Na Somália, 95% delas são submetidas à mutilação genital. Até nos Estados Unidos a taxa de pobreza subiu de 14,5% no ano passado, a maior em 17 anos.
Os países que obtiveram a maior pontuação localizam-se, de uma forma geral, no oeste, lugares onde a discriminação de gêneros é contra a lei e os direitos iguais são constitucionalmente garantidos. Mas houve surpresas.
O Canadá, por exemplo, ficou em terceiro lugar, mas em 26º no quesito “poder”, atrás de países como Cuba e Burundi.
“Determinar a quantidade ou medir o impacto feminino na política é difícil porque em poucos países há mulheres nessa área para fazerem a diferença”, explica Anne-Marie Goetz, conselheira da ONU.
Nenhum índice pode dar conta de tudo. “Como fazer comparações em culturas que são diferentes? Quem é mais oprimida: uma garota de minissaia ou uma que usa hijab?”, pergunta-se a revista.
Por outro lado, há conclusões que são claras, como definiu Hillary Clinton no Fórum de Cooperação Econômica Ásia-Pacífico em San Francisco, há algumas semanas: “Quando liberamos o potencial econômico feminino, nós elevamos a performance econômica nas comunidades, nações e no mundo. Um efeito estimulante vem à tona quando elas têm acesso ao trabalho e à vida econômica: maior estabilidade política. Menos conflitos militares. Mais comida. Mais oportunidades educacionais para as crianças. Promovendo o potencial econômico de todas as mulheres, melhora-se a oportunidade para todas as pessoas”.
De fato, é o que acontece nos 20 países mais bem classificados.
Além do ranking, a “Newsweek” traz um perfil de diversas mulheres. No capítulo dedicado à nossa presidenta – cujo título é “Não mexa com a Dilma” –, a revista conta parte de sua trajetória como militante de esquerda e lembra que ela foi presa e torturada.
Segundo a revista, Dilma é uma política durona que consegue governar o Brasil – “um país de machos” –, com pulso firme e um estilo “quase taciturno”.
Personalidades como Eike Batista, Nizan Guanaes e Delfim Netto foram ouvidos pela “Newsweek” e fazem elogios a Dilma. 

A condição do Brasil:
Nota geral: 68,5
Justiça: 80,7
Saúde: 61,7
Educação: 88
Economia: 71,7
Política: 48,5

Vejam a lista completa AQUI

Anúncios

4 Comentários »

  1. rs rs rs rs…..Argentina 63

    Comentário por Juventino — 2011/10/16 @ 17:16

  2. O melhor lugar para ser mulher no mundo? Ué, talvez seja onde George Clooney esteja. :-)

    Comentário por Ricardo Rezende — 2011/10/16 @ 20:37

  3. Faz um certo sentido: No frio, faço tudo melhor. No calor rendimento cai.

    Comentário por picida ribeiro — 2011/10/17 @ 10:21

  4. “Brasil – um país de machos”. Obrigado, “Newsweek”, pela parte que me toca…

    Comentário por Joubert — 2011/10/18 @ 16:55


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: