O Mundo Gira, A Lusitana Roda…

2011/10/14

O CARNAVAL DO SÉCULO

Filed under: Matutando — trezende @ 11:03

Palmas para quem botou o bloco na rua neste feriado e participou da “Marcha Contra a Corrupção” que aconteceu em diversas cidades do país.
Se vocês, como eu, não puderam se juntar aos protestos mas pensam que a manifestação é o único meio de pressão efetivo, preparem-se para o Carnaval 2012.
Gostaria de convidá-los para desfilarem em nossa escola, a “Acadêmicos do Mundo Gira”, que virá com muita animação, repique de tamborins, componentes com a letra do enredo na ponta da língua e, claro, muito samba no pé.
Levantaremos a Sapucaí com o enredo “O que é bom a gente fatura, o que é ruim, esconde-se – do santo do pau oco ao cheirinho de pizza, a história da corrupção no Brasil”.
Atenção: as alas não seguirão uma ordem cronólogica dos escândalos do país. A carnavalesca acomodou personagens e fatos históricos ao seu bel-prazer.
O grande abre-alas da nossa escola será um imenso santo do pau oco – onde praticamente tudo começou.
O carro, articulado, terá o mesmo mecanismo daqueles padres de madeira que encontramos em paradas de ônibus de rodovias brasileiras. Quem conhece, sabe que o “documento” do padre se manifesta sempre que a cordinha na parte de trás da batina é puxada.
No caso do abre-alas – que inovará vindo de costas – duas portas na altura dos pulmões do santo farão as vezes de batina. De tempos em tempos ela se abrirá e revelará o ouro. Para facilitar a visualização do público na arquibancada, em vez de ouro em pó, mostraremos barras de ouro – que além de tudo valem mais do que dinheiro.
A comissão de frente será formada por oito profetas “aleijadinhos” carregando cruzes nas costas. Além de ser fundamental ter um semblante barroco, os bailarinos deverão demonstrar coordenação motora o suficiente para seguir a elaborada coreografia sem bater as cruzes.
Divididos em duas fileiras, enquanto quatro andam, sambam e esbugalham os olhos para a esquerda, os outros vão na direção oposta.
O primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira representará Rosane e Fernando Collor. A dupla estará vestida de Barbie e Ken “modelo presidente”.
O segundo carro alegórico será quase surrealista. Apenas um duo careca-bigode, uma homenagem ao finado PC Farias. No chão, a ala dos “Caçadores de Marajás”. Os integrantes – de terno, gravata e gel no cabelo – portarão apenas espingardas e uma faixa presidencial.
Maluf merecerá um carro alegórico exclusivo, que puxará uma ala dedicada a personagens. Um sósia do deputado virá em cima de miniMinhocão no qual os carros estarão presos a um congestionamento.
Logo a seguir vem a ala mista dos personagens folclóricos. Representando Cacciola, integrantes com fantasias de papelão no formato de lambreta e capacetes pretos farão o público lembrar da Formiga Atômica. Outras dezenas de Francenildos portarão peneiras plásticas cata-folha de piscina. Já os Lalaus desfilarão com camisas-de-força e os Dirceus com gazes na cara – simbolizando as inúmeras cirurgias estéticas para mudança de rosto.
Um dos carros alegóricos contará com efeitos especiais: o do cuecão. Na tentativa de reproduzir a ousadia dos deputados, compressores de ar vão garantir uma chuva de dólares na Sapucaí.
Como contraponto, a fantasia dos componentes da ala “Dólar na Cueca” será simples: cueca e meia. As mulheres, de calcinha, encarnarão Roseana Sarney.
A “Acadêmicos do Mundo Gira” também terá um espaço dedicado às crianças.
Relembrando o escândalo dos Anões do Orçamento, uma ala só com anõezinhos (de verdade). Já podemos contar sete só com os do “Circo Pindorama”.
Puxando a ala, mais um casal de mestre-sala e porta-bandeira: ela de Branca de Neve, ele de Dunga evoluindo com muita magia.
Atrás dos anões, a ala dos patronos Rosinha e Garotinho, interpretados por casais com roupas de normalistas e merendeiras. Durante o desfile, eles distribuirão rosquinhas “Mabel” para o público.
Fechando a ala infantil, o maior carro alegórico da escola: um castelo mágico com oito torres, 275 janelas, piscina com cascata, lago artificial e capela. Enfim, uma reles maquete da casa de Edmar Moreira.
O penúltimo carro será uma fornalha. Ao redor dela, diversos pizzaiolos fazendo a dancinha de Ângela Guadagnin. No chão, a ala dos motoboys entregadores de pizza.
O carro que encerra o desfile da escola lembrará Joãosinho Trinta e trará 190 milhões de mendigos com muito samba no pé. Afinal, a festa não tem hora pra acabar.
Já temos quase tudo pronto. Só precisamos de uma letra para o nosso enredo. Alguém se habilita?

Anúncios

5 Comentários »

  1. Tati, SEN-SA-CIO-NAL!!!! Vou pensar numa letra…
    Parabéns pelo humor inteligente e o deboche na medida!!! Bom demais!
    Beijos da Vaninha.

    Comentário por Vaninha — 2011/10/14 @ 12:07

  2. Repito comentário acima, na integra.

    Comentário por picida ribeiro — 2011/10/14 @ 13:33

  3. APLAUSOS!!! GENIAAAAAAL!!!

    Vamos “estar enviando” as estrofes para você, Tati. Tudo junto e misturado, ficará um espetáculo. Mãos à obra, Vaninha, Picidinha, Ricardo e quem mais se habilitar!

    Beijocas!

    Comentário por Selma Barcellos — 2011/10/14 @ 15:35

  4. Se não tiver lugar para os ” veteranos ” na comissão de frente eu vou com os mendigos, mas que eu vou, eu vou manifestando os protestos.

    Comentário por Juventino — 2011/10/14 @ 19:05

  5. E a Ala das Bahianas?
    Ah, já ia me esquecendo. O povo brasileiro é tão politicamente apático que não é muito de rodar a bahiana, né?

    Comentário por Ricardo Rezende — 2011/10/14 @ 23:18


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: