O Mundo Gira, A Lusitana Roda…

2011/05/13

GOSTO AMARGO

Arquivado em: Mentes brilhantes — trezende @ 09:03

Morre tanta gente no mundo diariamente que muitos têm a tendência de banalizar a queda de um avião que faz centenas de vítimas.
Levante a mão quem já ouviu o seguinte comentário diante do acidente com um Boeing na Europa: “Isso é o que morre no Brasil diariamente, de fome…”.
Descaso? Egoísmo? Realismo? Melhor não colocar a mão nessa cumbuca.
O que acontece é que muitas vezes perdemos a noção de quem matou mais: Hitler, a guerra no Iraque ou as da Indochina?
O projeto “100 Years of World Cuisine” (“100 Anos da Cozinha Internacional”) extermina quaisquer dúvidas.
Criado pelos artistas Clara Kayser-Bril, Nicolas Kayser-Bril e Marion Kotlarski, ele percorre 25 conflitos de 1915 até hoje representando 38 milhões de mortos.
Uma maneira criativa – e um tanto mórbida – de contextualizar a realidade da guerra e comparar os estragos causados por um conflito e por outro.
Em vez de setas, barras, curvas e círculos fracionados, uma mesa posta como num banquete pouco convencional. A ideia é clara: mais sangue, mais mortos.
“Não somos historiadores e nossas escolhas foram feitas, em parte, a partir de nossos próprios julgamentos. É obviamente impossível expor todos os conflitos até hoje, assim como chegar a um acordo sobre a data exata de quando uma guerra começa e quando termina. No entanto, concentrar-se no total de mortes não deve apagar de nossa cabeça que milhares sobreviveram a mutilações, exílio ou estupro”, dizem os artistas.
Os vidros de conserva e a toalha quadriculada passam a noção do aconchego e dão um tom “hum, que delícia, compotas artesanais”. Então, por que e pra que numa cozinha?
“Nossas cozinhas são o coração da casa. Quando estamos preparando uma receita é o momento em que menos esperamos que uma violência aconteça. É uma hora banal, uma tarefa diária. Trazendo a imagem para a cozinha enfatizamos o absurdo que é a guerra”, explica Marion Kotlarski.
O “banquete” começa com a que é considerada a primeira matança do século 20: o Genocídio Armênio, em 1915, no qual foram mortas 1 milhão e 500 mil pessoas.
Sobre a pergunta do início do texto, os números são: 1) Holocausto: 5 milhões. 2) Iraque: 100 mil. 3) Indochina: 6 milhões.
Tema oportuno para uma sexta-feira 13, não?

Vejam a foto em detalhes AQUI

O tema Rubric Blog no WordPress.com.