O Mundo Gira, A Lusitana Roda…

2011/05/12

ETERNOS APRENDIZES

Arquivado em: Mentes brilhantes — trezende @ 10:23

O personagem das últimas semanas é Donald Trump.
Depois de levantar a lebre sobre o verdadeiro local de nascimento de Barack Obama e revelar pretensões de se candidatar à presidência dos Estados Unidos, Trump voltou às bocas.
Bilionário, o magnata dos cassinos é mais conhecido pelo seu topete e pelo reality show “The Apprentice” – que até ganhou uma versão por aqui, “O Aprendiz”, com o genérico Roberto Justus.
Trump é capa da edição de maio da versão americana da “Rolling Stone”. Na entrevista, ele fala sobre tudo – desde que dorme só de cueca até que é sortudo geneticamente: seu pai viveu até os 94 anos e sua mãe, até os 90. No fim, revela um grande segredo.
“Razoavelmente posudo aos 64 anos de idade”, ele faz mistério quando o assunto é sua candidatura presidencial. Diz que o mundo saberá a resposta em junho. Em caso afirmativo, na ocasião vai revelar o valor de suas finanças que, segundo ele, vai chocar o mundo: cerca de 7 bilhões de dólares, “se não mais”.
“Veja, estou em primeiro nas pesquisas e ainda não fiz nada!”.
“O que não é verdade”, diz a revista, lembrando todo o imbróglio causado por Trump em relação à certidão de nascimento de Obama.
“Precisamos de um homem de negócios. E eu tenho sido bem-sucedido nisso. Atualmente tenho as melhores propriedades do país. Eu realmente tenho coisas boas. O ponto é: administro um escritório num país que está essencialmente falido e necessita de um empresário de sucesso”.
Depois de tomar uma Coca-Cola, afirma: “Nunca coloquei um cigarro na boca em toda a minha vida. Nunca bebi, nunca estive num boteco, nunca me droguei e nem nunca tomei uma xícara de café. Eu diria, no entanto, que gosto de um pouco de cafeína. As pessoas acham que sou uma caldeira a ponto de explodir, mas na verdade tenho pressão baixa, o que surpreende todo mundo”.
Indagado se tem uma bíblia em casa, diz que sim. Perto da cama.
Quando foi a última vez que foi à igreja? “Duas semanas atrás, em Palm Beach, na Flórida”.
Sobre o que era o sermão?, pergunta a revista. “Prefiro não falar sobre isso, francamente”.
Sempre que fala da audiência de seu programa – o “Celebrity Apprentice” – ou da tendência das pesquisas presidenciais, ele se empolga, torna-se chato e precisa ser cortado.
Donald Trump também tem mania de germes. Lava as mãos compulsivamente. Onde quer que vá, leva sempre lenços umedecidos e higienizados no bolso do terno.
A revista pergunta: “Como Donald Trump pode fazer campanha se ele não troca apertos de mão?”
“Claro que tenho cumprimentado as pessoas. Não tenho problema com apertos de mão. Não é apenas uma questão de saúde. A questão é que com germes não há ‘talvez’. Está provado. Você pode pegar resfriados e outras coisas. O costume japonês é muito mais inteligente”.
Mas a maior revelação de toda a entrevista é o que Trump faz com seus cabelos.
“Lavo com ‘Head and Shoulders’, mas não seco com secador. Deixo secar naturalmente, o que leva cerca de uma hora”. Enquanto isso, ele lê os jornais do dia e assiste alguma coisa na TV. “Aí penteio. Sim, uso pente. Se eu penteio pra frente? Não. Dizem que eu faço ‘comb over’, mas não é exatamente isso. É uma mistura de pra frente e pra trás. Faço assim há anos”.
(Há dois anos abordamos o tema do “comb over” neste blog. Para quem não está lembrado, veja AQUI).
Somos ou não eternos aprendizes?

Leiam a entrevista completa AQUI

O tema Rubric Blog no WordPress.com.