O Mundo Gira, A Lusitana Roda…

2011/01/31

MIL LÉGUAS MARINHAS

Filed under: Diário de bordo — trezende @ 09:40

Se os barcos que realizam os passeios pela Patagônia tivessem programa de milhagem em parceria com companhias aéreas os turistas podiam se dar por felizes. Em uma semana acumulariam pontos para o ano inteiro.
Se por um lado há viagens agradabilíssimas e que deixam o gosto de quero mais, há outras que são tão cansativas que nem brincar de Titanic ajuda a passar o tempo.
A solução é relembrar um jingle antigo: “560 km, 560 km, para um pouquinho, descansa um pouquinho, 520 km”.
O passeio que leva à “pinguinera” da Ilha Martillo é um ótimo exemplo. O catamarã parte às 9 da manhã e volta às 5 da tarde. E nada de “Frango Assado” pelo caminho. Quem não leva merenda tem duas opções: a tentadora lanchonete a bordo ou uma pesca improvisada em alto-mar.
A ida é mais demorada porque inclui paradas em três pontos: numa ilha de pássaros (foto acima), na ilha dos fedorentos lobos marinhos e no “Farol Les Eclaireurs”.
Apesar de a guia turística a bordo informar aos passageiros de que o “Farol Les Eclaireurs” é o “Farol do Fim do Mundo”, os mais antenados sabem de outra história.
Este farol com nome francês – provavelmente o mais fotografado nos arredores de Ushuaia – ainda está em funcionamento, mas não tem nada a ver com o legítimo “Farol do Fim do Mundo” imortalizado por Julio Verne. O famoso farol localiza-se em San Juan de Salvamento, na Ilha dos Estados, e a visita é proibida, pois ele está numa área de pesquisas arqueológicas. Os admiradores da obra de Julio Verne podem se contentar com a réplica exposta no Museu Marítimo de Ushuaia.
Entre um avistamento de baleias e outro, chega-se à “pinguinera”. Decepção. Basta ter estado nas Ilhas Ballestas, em Paracas, no Peru, para se sentir ludibriado com os minipinguins que perambulam pela faixa de areia. No Peru são cerca de 3 mil leões-marinhos, milhares de espécies de pássaros e outras tantas de pinguins.
Outro detalhe: o desembarque na Ilha Martillo não é permitido porque se trata de uma região de estudos. Os que quiserem andar entre os pinguins têm de ir à Punta Tombo, colônia localizada a 190 km de Porto Madryn.
Quem não está afim de se juntar aos pinguins e nem acumular mil léguas marítimas, deve embarcar numa expedição “off road” em um Land Rover 4×4. Nesta, a graça está em chafurdar na lama e curtir uma legítima parrilada argentina.
Através da “Ruta Nacional 3”, que corta o país, chega-se ao mirante do Paso Garibaldi – onde é possível avistar os lagos Fagnano e Escondido. Depois disso, é só alegria: lama, enchente, trilhas destruídas por castores, semi-capotamentos e, ao fim, churrasco para comemorar a chegada – sãos e salvos.

Amanhã, no último capítulo, o Presídio Militar de Ushuaia

Mais fotos AQUI

Anúncios

1 Comentário »

  1. O dó, hoje é o penúltimo.

    Comentário por Juventino — 2011/01/31 @ 20:32


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: