O Mundo Gira, A Lusitana Roda…

2011/01/12

HE´S BEAUTIFUL

Arquivado em: Cri-crítica — trezende @ 08:37

O Oscar está quase aí e, como todo ano, nesta época começam as especulações sobre os indicados ao principal prêmio do cinema mundial.
“Biutiful” – dirigido por Alejandro González Iñárritu e que tem Javier Bardem no elenco – é um que chega balançando diversas credenciais no pescoço.
O filme estreou em Cannes no início do ano passado e rendeu a Javier o prêmio de melhor ator. Além disso, é o escolhido do México para representar o país no próximo Oscar, concorre ao Globo de Ouro de Melhor Filme em língua não inglesa e foi indicado na categoria Filme Estrangeiro ao Bafta (prêmio da Academia Britânica de Artes, Cinema e Televisão).
Com esse currículo, a possibilidade de alguém sair do cinema frustrado é praticamente nula.
Esta é a primeira empreitada de Iñárritu depois que ele e o roteirista Guillermo Arriaga romperam uma parceria de sucesso que resultou em trabalhos inesquecíveis e premiados: “Babel”, “21 Gramas” e “Amores Brutos”.
Quem assistiu aos três filmes anteriores de Iñárritu pode arriscar, sem temores, um palpite sobre a Barcelona retratada em “Biutiful”. Em vez da Sagrada Família, o foco é no lado B da cidade. Pobre, suja, sombria e povoada por imigrantes chineses e africanos.
Neste cenário propício a conflitos de toda espécie se desenrola o drama de Uxbal, que se divide entre papéis tão opostos quanto o embate entre a imagem forte representada por Javier e seu olhar de vira-lata abandonado.
Uxbal é o pai dedicado, o marido que precisa conviver com a bipolaridade da ex-mulher, o comerciante-contrabandista obrigado a fazer conchavos com corruptos de vários níveis e, principalmente, o que luta para sobreviver a uma doença irreversível. Nas horas vagas, ele ainda faz uma espécie de trabalho espiritual mediúnico.
Uma oportunidade e tanto para Javier mostrar por que é um dos grandes atores de sua geração – mesmo depois do equívoco “Comer Rezar Amar”.
“Biutiful” é basicamente sobre a morte. É um filme duro, intenso, emocionante e no qual os fracos não têm vez. Boa pedida.

P.S.: Este blog tira alguns dias de férias e segue para a Patagônia. Novos posts a partir de 25/01. Até!

O tema Rubric Blog no WordPress.com.