O Mundo Gira, A Lusitana Roda…

2010/09/23

MIND THE GAP

Filed under: A real do mundo real — trezende @ 10:05

Ter os dentes da frente separados como Alfred E. Neuman – o famoso personagem da revista “Mad” – não é uma característica da qual seus portadores se orgulham. Há quem recorra ao uso de aparelhos ortodônticos ou até se submeta a uma intervenção para tampar o buraco com resina.
Geralmente vista como um defeito estético, a diastema (o termo “odontologicamente” correto) não é mais problema – especialmente no mundo da moda.
Segundo uma reportagem do “The Wall Street Journal”, agências de modelos, estilistas e diretores de casting começaram a enxergar nos modelos diastêmicos um diferencial.
“É o amor pela imperfeição e pela autenticidade”, diz Stefano Tonchi, editor-chefe da “W Magazine”. “Neste mundo altamente digitalizado, alguns valores são cada vez mais importantes para as gerações mais novas, como a originalidade e a autenticidade”.
Outras características que estão sendo consideradas “in” são tatuagens, piercings, cicatrizes e modelos albinos.
Em editoriais das revistas “Vogue” e “W”, bem como em anúncios de marcas famosas como “Chanel” e “Marc Jacobs”, dominam modelos com dentes separados.
Na nova campanha do jeans “Hudson” a garota-propaganda é uma representante da turma de “dentes aerados”: Georgia May Jagger – filha de Mick e Jerry Hall.
Até mesmo Lauren Hutton – uma supermodelo nas décadas de 70 e 80 – está trabalhando mais. Ela ilustra a capa da edição de setembro da revista “Condé Nast U.K. Love”.
A reportagem do “The Wall Street Journal” conta ainda que em muitas culturas africanas o dente separado é sinal de beleza.
Além disso, de acordo com as “leis medievais da Fitofisionomia” – que crê que os traços faciais de uma pessoa dizem muito sobre sua personalidade –, o espaço entre os dentes era um sinal de que a mulher era libidinosa e libertina.
O assunto passou das passarelas às galerias de arte. Atualmente está em cartaz na Sotheby’s de Nova York uma exposição de fotografias da modelo Lindsey Wixson feita pela fotógrafa Gabrielle Revere.
Apesar do oba-oba do mundo fashion em torno da diastemia, o Dr. Sheldon Peck – historiador e professor-adjunto de Ortodontia da Universidade da Carolina do Norte – afirma que a característica ainda é vista pela maioria como uma falha estética a ser corrigida, e não celebrada.
É verdade. Num mundo de Madonnas, Brigittes Bardot e Willians Dafoe é bem mais difícil ser Ed Motta ou Neusa Borges.

Anúncios

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.