O Mundo Gira, A Lusitana Roda…

2010/04/18

QUANDO EU CRESCER

Filed under: A real do mundo real — trezende @ 08:37

O famoso teen da vez é Justin Bieber, um canadense de 16 anos que provoca nas garotas a mesma sensação que o ex-Menudo Ricky Martin já foi capaz de causar. Justin está em todas: dos “top ten” musicais à lista de mais procurados no Twitter.
Qualquer um que esteja na janela vendo a caravana passar daria o mesmo conselho ao petiz:  “Vai que é tuuua!”. O lance é subir no trem, deixar a franjinha ao sabor do vento e comemorar o privilégio de ter alcançado o que a maioria dos adolescentes deste século almeja: a fama.
Um artigo publicado no jornal “The Guardian” neste sábado (17) trata do assunto e proclama que “em algum momento da década passada a relação entre causa e efeito entrou em colapso e colocou todo mundo mais ou menos num mesmo nível de fama”.
No ano passado uma pesquisa na Inglaterra concluiu que as três carreiras mais desejadas entre as crianças de 5 a 11 anos eram: “astro / estrela do esporte”, “pop star” e “ator”. Há 25 anos os sonhos eram mais modestos: professor, funcionário de banco e médico.
Outro dado curioso é que o número de licenças dadas aos menores que faltaram na escola por três dias ou mais para participar de alguma atividade artística subiu 80% em cinco anos. Na “Stagecoach” – uma franquia de escolas de Artes Dramáticas – o número de alunos saltou de 12 mil em 1999 para 36 mil hoje.
Segundo o artigo, “não é que eles eram mais interessados em ser médicos. A questão é que geralmente as pessoas vão aonde o respeito está. E ele tem ido a lugares estranhos”.
É verdade. A mídia cada vez mais poderosa aliada à Internet (Youtube) e a mensagens do tipo “Yes, you can” são apenas alguns incentivadores de tal comportamento. Exemplos não faltam.
As meninas do Pussycat Dolls dizem: “Quando eu crescer quero ser famosa, quero ser uma estrela, quero estar em filmes. Quando eu crescer quero ver o mundo, dirigir carros legais, quero ter tietes (…) Cuidado com o que você sonha porque você pode conseguir”.
Não faz muito tempo eram raros os casos de crianças-celebridade. No Brasil tínhamos o “Balão Mágico” quase na mesma época de Nikka Costa e, posteriormente, do francês Jordy. Já a menina-monstro Maísa acabou refém de seu próprio criador.
Há também os que não suportaram o peso da fama, como Britney Spears e Michael Jackson.
As crianças sonham com o palco, mas são os pais quem precisam estar preparados. Tanto para arcar com as despesas das expectativas frustradas quanto das dificuldade em lidar com o sucesso ou com a falta dele. Haja terapia.

Anúncios

3 Comentários »

  1. A individuação é uma poderosa alavanca do ego.

    Queremos ser “diferentes”.

    O fenômeno que hoje assola as crianças inglesas é um tanto pasrecido com aquele que modificou o tradicional pensamento oriental.

    As pessoas estão tendo uma “febre de desejos”. De repente, o sinal verde da mídia nos acena que “tudo é possível”.

    De fato, tudo é. Os hindús estão dominanmdo a tecnologia, os chineses descobriram que ter dinheiro é muito bom e pode apostar…a persistir esta vontade, haverá mais ingleses despontando nos palcos das celebridades…

    Comentário por Prof. Klein — 2010/04/18 @ 10:03

  2. Eu já sabia disso a muito tempo… sabia que a maioria não queria mesmo ser médico por vocação e sim pelo statos dado na época em que a medicina, ainda era um negócio lucrativo.
    Se fosse por vocação, significaria que todos os adolescentes nascem com o dom para a medicina e a devocacia, e que ninguem tem o dom para as artes ou para
    profissões menos recompensadas monetariamente.
    Grandes erros de uma sociedade que não respeita a vontade do ser humano e que
    limita seu crescimento. Grandes equívocos que significaram a atual situação da
    medicina e de outras áreas consideradas como apenas meros trampolins para um futuro lucrativo. Grandes erros de quem não valoriza todas as profissões e principalmete presta um deserviço ao mundo.
    Infelizmente hoje, colhemos os frutos desse sistema formador de robôs, que apenas seguem as regras da sociedade, ou seja, adolescentes que seguem as idéias impostas pelos pais e também pelo estado, que recompensa somente certas
    profissões.
    Infelizmente, o mesmo está acontecendo no setor artístico e os artistas que trabalham com a “arte transformadora”, continuam pagando para trabalhar e sem
    a menor valorização de sobrevivência. Isso acontece pela idéia estúpida, de que o artista ideológico deve trabalhar por amor a arte. Ora… amar é valorizar e dar condições para que os artistas possam continuar se especializando. A arte e os artistas estão morrendo e quem ama não mata! Ter sucesso e ser um artista famoso, não significa qualidade. Existem inúmeros artistas fora de qualquer tipo de mídia e que são verdadeiros mestres em sua arte. O conceito de arte está totalmente deturpado e o futuro da arte comprometido, tal qual aconteceu com a medicina.

    Abraços

    Comentário por Balaio Variado — 2010/04/18 @ 15:14

  3. Hoje é melhor não estudar e ser jogador de futebol e não estudar e ser presidente do país.

    Comentário por Juventino — 2010/04/18 @ 19:11


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: