O Mundo Gira, A Lusitana Roda…

2010/03/15

O PESO DA ESCOLHA

Filed under: Absurdos nossos de cada dia — trezende @ 10:24

A onda de obesidade que tem assolado o mundo deixou de ser um drama considerado como fútil e se transformou num problema de saúde pública.
No entanto, apenas uma pessoa no globo terrestre parece não estar preocupada com essa questão: Donna Simpson, 42 anos, 273 quilos, moradora de Nova Jersey, nos Estados Unidos. Ela está empenhada a dobrar de tamanho para conseguir o título de mulher mais gorda do mundo. Sua meta é alcançar os 450 quilos em dois anos.
Para cumprir o objetivo, Donna terá de ingerir 12 mil calorias por dia – a média recomendada para as mulheres é de cerca de 2 mil.
Donna está no “Guiness – Livro dos Recordes” desde 2007 como a mãe mais gorda do mundo. Na época, precisou da ajuda de uma equipe de 30 médicos para dar à luz Jacqueline numa cesárea de alto risco.
Donna usa roupas XXXXXXXL, devora montes de junk food ao dia e tenta se movimentar o mínimo possível. Ela faz questão de frisar que é saudável – apesar de ter de usar um carrinho para se locomover. “Será difícil porque correr atrás da minha filha me faz perder peso”.
“Meu prato favorito é sushi, mas ao contrário das pessoas, posso devorar 70 deles numa sentada. Também gosto de bolos e doces – donuts são meus preferidos”.
Philippe, seu atual companheiro, a encoraja a comer cada vez mais.
Eles se conheceram num site de namoro para gordos, gosta de obesas, mas pesa apenas 68 quilos. “Acho que ele gostaria que eu fosse maior. Ele é o verdadeiro homem-barriga e me apóia completamente”, conta Donna.
Os problemas dela com a balança começaram cedo. As porções generosas que lhe eram servidas pela mãe fizeram com que ela pesasse 83 quilos aos 9 anos de idade. “Comida era a única maneira que ela encontrava para mostrar que nos amava”.
Depois da morte da mãe, o pai de Donna se casou com uma mulher que colocou os filhos numa dieta rígida. “Eu costumava roubar comida da despensa – que sempre estava cheia porque minha mãe armazenava muita coisa”.
Conforme foi crescendo, Donna passou a se preocupar com seu peso e começou a tomar pílulas emagrecedoras. Entre os 14 e os 18 anos chegou aos 70 quilos, mas ainda continuava infeliz porque pensava em comer o tempo inteiro.
Aos 19 anos tudo mudou quando se casou pela primeira vez. O marido – chef de um restaurante de carnes – trazia sobras para a casa. Às duas, três da manhã eles se acabavam com pilhas de carne com purê de batatas e molho amanteigado.
“Eu engordei e meu marido gostou, disse que eu era mais sexy gorda. E eu me sentia mais feliz também”.
Aos 27 anos e 159 quilos ela engravidou de seu filho mais velho, Devin, e se separou. Aos 31 e aos 273 quilos ela decidiu emagrecer: perdeu cerca de 12 quilos em seis meses e estava pronta para uma cirurgia de estômago. Prestes a entrar na faca, um amigo morreu durante operação semelhante e ela desistiu.
Algum tempo depois Donna passou a visitar um site que celebrava a mulher gorda e a receber emails de admiradores. “Eles me mandam vários presentes pelo correio, como shake de proteínas para que eu ganhe peso mais rápido. Eu amo comer e as pessoas adoram me ver comendo. Faço os outros felizes e não prejudico ninguém”.
No entanto, o mais inacreditável de toda a história não é a meta de Donna. Para dar conta da despesa semanal de 750 dólares (cerca de R$ 1.320) semanais que gasta com comida, ela mantém um site no qual homens pagam para vê-la se deliciando com fast food.
E aí, quem dá mais?

Anúncios

10 Comentários »

  1. Acho que pra ela, pelo menos por enquanto, essa escolha ainda não teve seu peso. Terá sim, quando ela não poder mais se locomover e tiver problemas sérios de saúde. Aí depois, será que ela vai dizer que se sente bem e é feliz? Nada em excesso é bom. Assim como também é doentio modelos pesando 40kg e se achando “gordas”. Mas enfim, cada um escolhe o que acha melhor.

    Comentário por Vivian — 2010/03/15 @ 10:41

  2. Eu fico impressionada com o nível de desequilíbrio a que chegam certas pessoas.
    Interna a dona.

    Beijocas.

    Comentário por Selma Barcellos — 2010/03/15 @ 12:34

  3. Só posso reforçar o comentário da Selma

    Comentário por picida ribeiro — 2010/03/15 @ 13:32

  4. Minha nutrida amiga Tati, realmente, o desequilíbrio dessa moça não é só alimentar, é também mental. Desse jeito ela vai acabar explodindo feito a dona redonda…

    Forte abraço

    C@aurosa

    Comentário por caurosa — 2010/03/15 @ 14:28

  5. Ai, meu Deus… se essa mulher quer fazer isso com ela, dane-se, que coma até arrebentar todos os tecidos do corpo e morra de intoxicação, problema dela…

    Mas, pelo amor de Deus… deviam proibir gente assim de ter filhos… e os que ela já tem, espero sinceramente que não sejam incentivados, muito menos forçados a seguir o exemplo imbecil da mãe. Porque, se forem, ela deveria perder a guarda deles.

    Comentário por Felipe "Half Boiled" — 2010/03/15 @ 15:40

  6. Desejo a Miss Simpson uma feliz e achocolatada Páscoa.

    Comentário por Juventino — 2010/03/15 @ 20:36

  7. “Eu engordei e meu marido gostou, disse que eu era mais sexy gorda”.
    Além de excesso de gordura, ela também deve ter uma gorda conta bancária – e o marido, excesso de coragem enquanto espera a herança.

    Comentário por Ricardo Rezende — 2010/03/15 @ 20:52

  8. Para mim, isso é muita falta do que fazer (tivesse ela um bom tanque de roupas para lavar!) e falta de amor-próprio. Ah! E ela também deve gostar de viver constipada e querer aparacer em um daqueles reality shows (“Você é o que você come”) ou virar documentário como o mexicano Manuel Uribe (que pesa + de 500 kg).

    Comentário por Vaninha — 2010/03/16 @ 09:00

  9. Oi.
    Cada dia que passa dá pra gente se espantar um pouco mais com a espécie humana…
    Podia dividir a comida com alguém que não tenha, mas acho que isso nem passa pela cabeça de alguém que tem “metas” tão importantes como entrar p/ o guiness…
    Bj,
    Adhesanimado…

    Comentário por Adh2bs — 2010/03/19 @ 23:56

  10. Fico indignada…

    Primeiro, com a escolha de vida da sra. gordinha. Mas ela é totalmente reforçada para isso. Ser patologicamente doente é funcional pra ela. Ganha dinheiro, fama, admiradores. A psicologia explica!

    Agora, gostaria de ver esse site de admiradores de obesas. Vc admirar uma fofinha, OK. Normal e saudável. Agora, ter tara em ver alguém de quase 300 kg comendo besteira… E pagar por isso… Doentio.

    Faz tempo que não passava aqui, por falta de tempo mesmo. Adoro teu espaço!

    =*

    Comentário por Joana Bronze — 2010/03/23 @ 10:29


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: