O Mundo Gira, A Lusitana Roda…

2010/02/27

SOPA DE ESTRELAS

Filed under: Cri-crítica — trezende @ 08:39

Pode um filme reunir um elenco de astros e estrelas e mesmo assim se transformar num buraco negro? Sem dúvidas.
“Idas e Vindas do Amor” está em cartaz para sanar quaisquer suspeitas.
O diretor Garry Marshall – o mesmo de “Uma Linda Mulher” – deve ter as costas quentes em Hollywood, afinal, conseguiu seduzir Kathy Bates, Jamie Foxx, Julia Roberts, Shirley Mac Laine, Ashton Kutcher, Bradley Cooper (de “Se Beber, Não Case”), Anne Hathaway, Queen Latifah e ainda o casalzinho “Malhação” Taylor Swift e Taylor Lautner.
A julgar pela competência dessa galera, o saldo poderia ter levado Garry Marshall ao atendimento “First Class”, mas o que ele obteve foi um mingau ralo, insípido e “sem sustança”.
“Idas e Vindas do Amor” se desenrola durante um dia – o Dia dos Namorados em Los Angeles – e segue a tendência do momento: contar histórias paralelas que de alguma forma se cruzam.
Além desta fórmula, há também a tentativa de fisgar públicos bem díspares: imigrantes, adolescentes americanos, Terceira Idade e o espectador cativo de comédias românticas.
Desse Titanic apenas um elemento se salva: Queen Latifah, que mesmo aparecendo em pouquíssimas cenas, dá um show.
Quem melhor resume o imbróglio – sem querer querendo – é o próprio diretor.
Uma reportagem da agência de notícias EFE revela que quando perguntado sobre as diferenças entre fazer uma comédia romântica hoje e há 20 anos, ele diz que a essência é a mesma. No entanto, atualmente o leque de possibilidades é muito maior, já que não é preciso se prender à relação entre homem e mulher. “O princípio e o desenlace é sempre o mesmo (…) A diferença está em tudo o que acontece no meio e nos atores escolhidos para provocarem uma ligação com o espectador”.
Do jeito que ele define, a impressão é que o “meio” é um reles detalhe.
O resultado desse pensamento simplório de Garry Marshall taí para quem quiser conferir.

Anúncios

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.