O Mundo Gira, A Lusitana Roda…

2010/02/25

O SEGREDO

Arquivado em: A real do mundo real — trezende @ 10:34

Felicidade é um sentimento que, apesar de almejado, poucos são capazes de defini-lo. Talvez porque subjetivo. Ou polêmico.
Uma matéria publicada pelo jornal britânico “The Times” chega para confundir ainda mais a mente dos casados: “Felicidade é um banheiro separado”.
Logo no início, a pergunta: “É possível continuar gostando de alguém mesmo após vê-la sentada no trono?”.
Os “pró-privadas independentes” têm defensores como Catherine Zeta-Jones e Michael Caine. Segundo a reportagem, recentemente ambos declararam que o segredo para um casamento feliz não é fidelidade, amor eterno ou admiração mútua, mas banheiros independentes.
Michael Caine – que está há 37 anos com a mesma mulher – costuma separar-se “higienicamente” da esposa até quando hospeda-se em hotéis. Catherine Zeta-Jones – há dez anos com Michael Douglas – crê que é sempre uma ótima saída: “O meu é tão bagunçado que eu odiaria que meu marido soubesse o quanto ele pode ser caótico”.
Ainda de acordo com o “The Times”, não há nenhum dado oficial que relacione a taxa de divórcios ao número de banheiros, mas para Andrew G. Marshall – terapeuta de casais e autor de “Como Posso Voltar a Acreditar em Você?” – a equação é simples: portas fechadas = vida sexual melhor.
“Ver o outro sentado no trono tira todo o mistério. Todos nós sabemos o que se passa dentro do toalete, não temos de assistir a isso. Nós queremos nos sentir deuses ou deusas diante dos nossos parceiros e a inexistência de privacidade pode esbarrar na atração sexual”.
Se Catherine Zeta-Jones e Michael Caine estão certos de que dividir o banheiro é uma tragédia, a atriz burlesca Dita von Teese acredita que o bom senso é o mais importante.
Apesar de não expulsar o namorado do banheiro, ela acha que algumas atitudes podem ser deixadas no mundo privado. E pergunta: “Por que não manter o mistério o máximo que você puder? Eu mesma pinto meu cabelo, mas não permito que ele me veja. Eu sei o quanto é ridículo andar nua pela casa com tinta no cabelo e nas sobrancelhas”.
Se há controvérsias quanto ao nível de felicidade ou de desejo, já há uma certeza no mercado imobiliário. A reportagem cita a experiência dos corretores. Eles dizem que a demanda por banheiros para eles e para elas ocupa o topo do mercado. Na falta dos dois ambientes, a procura é por pias separadas.
O mais razoável é mesmo a opinião de Dita von Teese. Todos temos de instalar torneiras misturadoras em nossos cérebros. Nem água quente demais, nem gelada. Aí é que mora o segredo.

O tema Rubric. Blog no WordPress.com.