O Mundo Gira, A Lusitana Roda…

2009/09/25

OS ZEZÉS E OS LELÉS

Arquivado em: Matutando — trezende @ 09:07

cafecolorido

mascarasSe o noticiário se mantiver assim até fevereiro, uma antiga marchinha de Carnaval irá desbancar Claudia Leitte e Ivete Sangalo juntas. O hit do verão 2010 será “Olha a cabeleira do Zezé, será que ele é, será que ele é?”.
As demonstrações públicas e furiosas de homofobia tornaram-se tão frequentes que é possível até elaborarmos um “top five homofóbico”. Por ordem decrescente:

1) O governador do Mato Grosso do Sul, André Puccinelli, chamando o ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, de “viado fumador de maconha”. E o pior: dizendo que “se Minc participasse da Meia Maratona Internacional do Pantanal ele o alcançaria e o estupraria em praça pública”;
2) A declaração do técnico do Goiás, Hélio dos Anjos, de que “homem que tem ciúme do outro é viadagem. E eu não trabalho com homossexual, não tenho viado no meu elenco. Eu trabalho com homem”;
3) Flavio Briatore pondo em dúvida a sexualidade de Nelsinho Piquet: “Ele vivia com este senhor – o italiano Marc Cavezzale –, não se sabe que tipo de relação eles tinham, mas o pai estava muito preocupado com o relacionamento dele com esse cara de 50 anos e pediu que eu interviesse”;
4) Marta Suplicy insinuando, durante a campanha à prefeitura de São Paulo no ano passado, que Kassab seria homossexual. O locutor da campanha petista perguntava: “Você sabe mesmo quem é o Kassab? Sabe de onde ele veio? Qual a história do seu partido?”. Depois da foto do prefeito: “Sabe se ele é casado? Tem filhos?”;
5) Há dois anos, o diretor administrativo do Palmeiras, José Cyrillo Jr., num programa da Record. Indagado sobre a possibilidade de haver um atleta homossexual no time disposto a assumir publicamente sua opção, Cyrillo respondeu: “O Richarlyson quase foi do Palmeiras”.

É fato: estamos passando por um momento balaio de gato em termos de sexualidade. Num ontem não muito distante existiam apenas três sexos: o masculino, o feminino e a coluna do meio.
Hoje, mais do que os inúmeros subtipos, as denominações criadas para se referir a eles são espantosas. Ninguém é apenas gay. Há os transexuais, os transgêneros, os travestis, os bissexuais, os intersexuais, os pansexuais, as dragqueens, os crossdressers, as lésbicas e, espremidos no meio disso tudo, os heterossexuais.
Alguns – com o intuito ou não de criar polêmica – tentam se enquadrar em alguns destes subtipos. A cantora Fergie, as atrizes Megan Fox e Lindsay Lohan se declararam bissexuais. Lady Gaga chutou o balde e disse que é hermafrodita.
A dúvida na área da sexualidade é o novo preto. Além dos artistas e seus produtores, publicitários também já perceberam a mudança e aproveitam para tirar uma casquinha – vide a sugestiva campanha da Arezzo com Juliana Paes e Cleo Pires.
Enfim, se há uma pergunta difícil de ser respondida atualmente é: “Você sabe com quem está falando?”. E justamente por isso os lelés deveriam tomar mais cuidado ao classificarem o próximo.

P.S.: já enviou sua imagem para a promoção “O melhor uso não-intencional”? A melhor foto será premiada com uma camiseta do filme “Um Faz-de-Conta que Acontece”.
Mandem uma foto para tatianarezende@hotmail.com até 5 de outubro.

O tema Rubric Blog no WordPress.com.