O Mundo Gira, A Lusitana Roda…

2009/09/03

NÃO É SOPA

Arquivado em: A real do mundo real — trezende @ 09:17

denture

stopO Natal não será tão farto para os que pensavam em tirar a barriga da miséria após passar num concurso público em Caruaru. Nesta semana as inscrições para o concurso da Autarquia Municipal de Defesa Social, Trânsito e Transportes de Caruaru (Destra) foram suspensas.
A decisão do Ministério Público de Pernambuco e do Tribunal de Contas do Estado veio após a leitura do edital. Segundo eles, os critérios médicos são arbitrários, discriminatórios e rígidos para alguns dos cargos oferecidos.
O concurso oferecia 122 vagas: 50 para agentes de trânsito, 69 para guardas municipais, duas para engenheiros civis e uma para arquitetos.
No item “Da Fase de Avaliação de Exames de Saúde” constam as seguintes exigências: ter no mínimo 20 dentes, não ter joanete, não ser portador de “dermatites crônicas de qualquer etiologia”, hérnia umbilical e “varizes cuja tendência seja o agravamento com a atividade do cargo”.
A falta de conformidade a algum desses requisitos é considerada “causa de incapacidade para o exercício dos cargos efetivos da Destra”.
De acordo com os promotores, é pouco provável que um número considerável de candidatos não tenha pelo menos um dos 90 problemas de saúde citados no edital, o que causaria automaticamente a exclusão de boa parte dos aspirantes às vagas.
A novidade fica por conta da afirmação do diretor-presidente da Destra: “O índice mastigatório mínimo são 20 dentes em qualquer concurso do Brasil. Essa é uma exigência que existe em todas as seleções”.
Como advogada do diabo seria correto dizer que, como representantes do poder público, agentes de trânsito e guardas municipais tenham de apresentar boas condições físicas – o que passa longe de exigir Brads Pitt e Angelinas Jolie nos semáforos de Caruaru. A pele e o cabelo não precisam estar esticados, as unhas esmaltadas, mas dentes são fundamentais. Ossos do ofício.
Se no quesito odontológico uma dentadura quebra o galho, quanto às varizes, o risco de elas se agravarem é grande numa função em que o funcionário tem de estar em pé o dia inteiro. Não se trata apenas de uma questão estética – como aparentemente julgam os promotores.
Já a exigência de que arquitetos e engenheiros não tenham joanetes ou que portem 20 dentes precisa ser revista. Aliás, não deveria nem ser citada no edital. Como confiar que o aprovado é engenheiro ou arquiteto sem os dentes na boca? Seria o caso de suspeitar, no mínimo, da faculdade.
Pergunta para agentes de trânsito e guardas municipais: é possível usar um apito sem dentes?

Leiam o edital AQUI

O tema Rubric. Create a free website or blog at WordPress.com.