O Mundo Gira, A Lusitana Roda…

2009/02/11

REBELDIA: CAUSA E EFEITO

Arquivado em: Absurdos nossos de cada dia — trezende @ 09:38

 

 rebel

bandaid“Passam os séculos e os homens, mas repetem-se os fatos e suas causas”. Lembrei-me hoje da frase de Gaspar Barlaeus – que encontrei na Fortaleza de Santa Catarina, em João Pessoa.
A afirmação é perfeita para definir três notícias dos jornais de hoje – duas delas ocorrem todo ano, mais ou menos nesta época.
A primeira: “a festa em Olinda não tem hora pra acabar”. Aguardem. Dentro de duas semanas ela estará por aí. Lembrem-se de mim.
O segundo destaque são os trotes violentos nas universidades. Quando o calouro não é encontrado morto na piscina, chega em coma ao hospital depois de amargar as boas-vindas a que foi submetido.
A outra é que alunos de colégios particulares de Brasília têm se reunido para brigar no Parque da Cidade.
Um “bicho” de Medicina Veterinária da “Universidade Anhanguera Educacional”, em Leme ( SP), inaugura a sessão “Trotes Universitários” do ano. Ele foi obrigado a ficar alcoolizado, teve de entrar em uma lona com restos de animais em decomposição, fezes e esterco, comer ração para cães e ainda foi submetido a uma sessão de chicotada pelos veteranos.
Resultado: deu entrada no hospital como indigente, tomou soro, recebeu oxigênio e está com diversas marcas de agressão pelo corpo.
Já as brigas entre adolescentes em Brasília dão um ar de “Juventude Transviada” à cidade. Segundo a Polícia Militar encontros marcados pela Internet com o objetivo de pancadaria têm sido frequentes.
O que diferencia os trotes das pelejas corporais federais é que pelo menos entre os jovens brasilienses há regras. Só vale bater com mãos e pés. Neste final de semana, após socos, pontapés, pisões na goela e joelhadas, a briga terminou quando um dos meninos quebrou o dedo.
Não se trata de apologia à violência, mas esse episódio chega a ser divertido e nostálgico. Inocente, até. Desde que armas e veteranos da “Anhanguera Educacional” não estejam presentes, a polícia deveria deixar essa festa não ter hora pra acabar.
Rebeldia sem causa ou incitada por filmes é perfeitamente compreensível.
O mistério é outro. O que veteranos – ou calouros – têm a comemorar ao entrar numa universidade chamada “Anhanguera Educacional”? Talvez fosse mais simples compreender se estivéssemos falando de MIT.
Melhor deixar pra lá. Quem sabe não surge um novo Gaspar Barlaeus com uma frase para explicar isso?

O tema Rubric Blog no WordPress.com.