O Mundo Gira, A Lusitana Roda…

2012/07/29

DOR DE BARRIGA

Filed under: Mentes brilhantes — trezende @ 08:51

Dia desses o novo programa de Pedro Bial estava examinando uma nova obrigação da (e na) sociedade: a de ser feliz.
A culpa é da Nina? Não, dos comerciais de margarina.
Quem não tem a vida do comercial, com a família reunida em torno da mesa tomando suco de laranja com dentes e toalha brancos, constata que leva uma vida de m…
Pode-se discutir se a ditadura da felicidade é uma invenção da mídia, mas uma coisa é certa: um dos maiores mitos nessa busca pela felicidade é o da maternidade.
Talvez a ideia mais disseminada (nesse caso mais pela sociedade do que pela mídia) é a de que a mulher só é um ser realizado e completo quando se torna mãe. A que não consegue, transforma a gravidez – e a vida do marido – numa obsessão. Todo mundo conhece um caso assim.
Da gravidez só importa o produto final, o filho – e não a vocação.
O questionamento interno – quero realmente ser mãe ou estou respondendo a um chamado da sociedade? – é algo que só tem acontecido de pouquíssimo tempo para cá e ainda entre pouquíssimas mulheres.
Objetivo quase alcançado, surge outro ponto curioso. As grávidas vendem a gravidez como um prêmio e a barriga é exibida como um troféu. Tudo é lindo e maravilhoso.
Daí o tema de nosso post de hoje, inspirado numa seleção de fotos de futuras mamães publicada pelo site “The Chive”.
Porque mãe que é mãe faz álbum de tudo: da gravidez, do parto e até do bebê.
As imagens são de uma bizarrice sem fim. Predomina a clássica pose da grávida ao lado do pai – com uma barriga tão grande quanto –, mas algumas são impressionantes. Quanto mais “fanfarrona” a foto, pior.

Divirtam-se AQUI

About these ads

2 Comentários »

  1. Essa história de uma mulher só ser completa com a maternidade.sempre me intrigou. Nunca, nem por um momento na minha vida quis ser mãe, me sentia esquisita por isso.
    Demorei para assumir, “sair do armário”.
    Mas qdo finalmente o fiz, pude dizer: mão tenho vocação para mãe, e isso não faz de mim uma má pessoa

    Comentário por picida ribeiro — 2012/07/30 @ 00:14

  2. Tati, esse negócio de cobrança da sociedade é um saco. Sempre alguém me cobra se não vou ter um bebê, que toda mulher precisa ter seus filhos, etc. Até acho que podia ser uma verdade para a geração das nossas avós e talvez de nossas mães, mas não para a nossa geração, que trabalha e tem vida social intensa, que tem acesso fácil a informação, remédios e tudo o mais, enfim, uma geração de mulheres realmente independentes. Tão independentes que podem optar pela felicidade da maneira que bem entenderem. Uma pena é que muitas não possuem senso crítico o suficiente para refletirem a respeito. Gostei muito da reflexão proporcionada pelo post e morri de rir das fotos no The Chive. Bizarras!
    Beijão, querida!

    Comentário por Vaninha — 2012/07/30 @ 10:21


Feed RSS para comentários sobre este post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O tema Rubric. Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: