O Mundo Gira, A Lusitana Roda…

2012/06/21

O PESO DA FAMA

Arquivado em: Mentes brilhantes — trezende @ 09:15

Nesta semana uma foto que mostra uma abelha no exato momento em que ela deixa o ferrão no braço da vítima foi premiada pela “Association for Communication Excellence”, que reúne comunicadores, educadores e tecnólogos do mundo todo.
Coincidência ou não, o site “Slate” publicou um artigo muito interessante: “Minding their own beeswax – How busy are bees, really?” (algo como “Cuidando das próprias ceras – Quão ocupadas são as abelhas?).
Segundo o site, “Elas são muito trabalhadoras, mas não tão ocupadas quanto outros animais. Uma abelha pode trabalhar apenas algumas horas ou 12 horas por dia dependendo de sua função dentro da colmeia”.
As abelhas trabalhadoras encarregadas da produção de néctar ou da busca de pólen geralmente passam o dia inteiro fora, mas assim que escurece elas retornam.
As trabalhadoras que ficam dentro da colmeia e encarregam-se dos favos precisam arejar o local com suas asas, mas fazem paradas frequentes.
A rainha, apesar de relativamente imóvel, precisa botar mais de mil ovos por dia.
O zangão é mais preguiçoso. Ele raramente sai da colmeia antes do meio da tarde e quando volta conta com a ajuda das trabalhadoras para ser alimentado.
Para manterem a eficiência da colônia, as abelhas tiram o dia de folga quando o tempo está feio (ou muito frio ou com cara de que vai chover). Mesmo em situações assim elas trabalham: ao permanecem juntas para manterem-se aquecidas elas precisam bater as asas, o que representa um grande desprendimento de energia.
Em compensação, quando o dia está bonito elas fazem hora extra e ainda retornam à colmeia para recrutar ajuda extra. Nessas condições as flores ficam particularmente ricas de néctar e com pólen “maduro”.
“A real razão que chamamos pessoas produtivas de ‘abelhas ocupadas’ provavelmente tem mais a ver com o tipo de trabalho que fazem do que com o fato de estarem ocupadas. Como as abelhas são animais sociais com força de trabalho especializada, as funções que elas desempenham têm muita semelhança com as nossas”, diz o artigo.
“Pessoas ocupadas têm sido comparadas às abelhas desde os séculos 15 e 16. Em “The Canterbury Tales”, por exemplo, as mulheres são definidas como ‘ocupadas como as abelhas’ na tarefa de enganar os homens”, continua o artigo.
Para determinar quais animais são realmente trabalhadores o melhor é levar em consideração aqueles com demandas metabólicas mais altas, como os beija-flores e os “musaranhos” – um mamífero que mede apenas dez centímetros e, por causa do metabolismo acelerado, come sem parar, praticamente não dorme e é capaz de de caminhar sobre as águas devido à capacidade de andar com os pés curvados.

O tema Rubric Blog no WordPress.com.