O Mundo Gira, A Lusitana Roda…

2011/06/28

O PAI DA CRIANÇA

Arquivado em: Matutando — trezende @ 10:15

FHC poderia dormir sem essa. Depois de se expor publicamente assumindo um filho fora do casamento, cai a bomba da semana: não é o papai.
Mas diante de charutos americanos e Tampax ingleses, isso não é nada. Mesmo assim tem gente mais interessada em descobrir quem é o pai do filho de FHC do que discutir a quebra do sigilo eterno dos documentos oficiais do governo brasileiro.
As revistas e jornais “sérios” explicam a publicação de fofocas do tipo como “assunto de interesse público”.
Não há dúvidas de que a fofoca (da boa) é um tema que atrai multidões em qualquer lugar do mundo – Schwarzenegger taí para refrescar a memória. Aqui no Brasil não seria diferente – pendor talvez justificável pela nossa paixão pelas telenovelas e seus enredos de amor, traição e sofrimento.
Mas cada caso é um caso. O que envolveu a também jornalista Mônica Veloso e o ex-presidente do Senado Renan Calheiros foi muito além da fofoca de alcova e dos detalhes sobre o sofá azul. Essa sim foi uma história de genuíno interesse público: Mônica recebia a pensão de um lobista da Mendes Júnior e em dinheiro vivo. Até hoje esse caso mantém-se nebuloso.
Na seara política dos escândalos sexuais, Lula talvez tenha sido o personagem mais exposto e injustiçado. Viu a campanha presidencial de 1990 escapar-lhe por entre os dedos após a ex-namorada Miriam Cordeiro acusá-lo de ter tentado induzi-la a fazer um aborto oferecendo-lhe dinheiro.
O golpe baixo de Collor caiu como uma bomba e o resultado todo mundo sabe.
Até Maluf foi alvo da desconfiança da nação, vejam vocês. Só que deste, se não se consegue provar nem os milhões em paraísos fiscais, o que dizer de uma alegada paternidade? Esse tem a manha de falsificar até exame de DNA ao vivo no Programa do Ratinho.
No episódio FHC é a fofoca pela fofoca. Não há lobista ou dinheiro público envolvido, apenas sentimentos.
O mais importante na novelinha FHC-Dutra é o comportamento dos personagens. Até onde se sabe, o ex-presidente resolveu o drama com a esposa Ruth Cardoso – dizem as más línguas que ela se isolou em Nova York quando tomou conhecimento do caso extraconjugal, mas pelo menos soube.
Miriam Dutra, por sua vez, não agiu como Mônica Veloso, que jogou tudo no ventilador. Miriam manteve-se discreta e (bem) afastada dos holofotes. Agiu de má-fé? Talvez sim, talvez não.
Certeza mesmo é a de que FHC teve atitude de homem. Antes de se submeter aos exames com o suposto filho Tomás, disse ao garoto que qualquer que fosse o resultado nada mudaria na relação entre os dois.
Em 2018 meu voto é dele.

O tema Rubric Blog no WordPress.com.