O Mundo Gira, A Lusitana Roda…

2011/06/22

SAINDO DO ARMÁRIO

Arquivado em: Mentes brilhantes — trezende @ 09:28

Numa certa fase da pré-adolescência muitas crianças começam a ter vergonha dos pais.
Buscá-los na boate ou dar beijos de despedida na porta da escola são atitudes que deixam muitos adolescentes a ponto de enterrarem a cabeça na terra.
Mas isso não é nada perto da tortura que Rain Price tem de enfrentar diariamente. Todos os dias seu pai, Dale, dá tchauzinhos para o ônibus escolar fantasiado.
Dale e Rain moram em American Fork, uma cidade próxima a Salt Lake City, nos Estados Unidos. Em agosto do ano passado, no primeiro dia de aula de Rain, Dale e a esposa Rochelle tiveram a ideia de chegar à porta de casa e dar um adeus ao filho assim que ele entrasse no ônibus só para constrangê-lo. Detalhe: o petiz tem 16 anos.
Desde então, foram mais de 180 dias de tortura para Rain. Seu pai já se vestiu de super-herói, noiva, palhaço, Kung Fu Panda, jogador de futebol americano, abajur, caubói, Papai Noel, Michael Jackson, mexicano e personagens de “Guerra nas Estrelas”.
Segundo Rain, a mais constrangedora delas foi a de “Pequena Sereia”.
“No primeiro dia eu ouvi ele falando com a mãe: ‘Não deixe o papai fazer isso de novo’”, conta Dale, que tem mais um casal de filhos.
“No outro dia ele já estava vestido de Anakin Skywalker. Coloquei a foto no Facebook e depois de dois ou três dias minha irmã ligou de San Diego sugerindo que começássemos um blog”, diz Rochelle. Assim nasceu o “waveatthebus.blogspot.com”.
Dale Price conta ainda que a maior parte das roupas ele empresta dos vizinhos e amigos e que não gastou mais do que 50 dólares durante o ano. Para não repetir as fantasias, ele anota tudo num caderninho.
Aos poucos Rain se acostumou à ideia. Seus colegas e até o motorista do ônibus se divertem. “Afinal, não é o pai deles que está vestido como um bobo”, diz o motorista.
O pai até criou algumas regras. Além de não usar a mesma fantasia duas vezes, a roupa precisa ser uma surpresa para o filho.
O ônibus passa às 7h14 da manhã e Rain vai para a porta às 7h10. Então Dale tem quatro minutos para se preparar. “Eu me preocupo com o que vou vestir no dia seguinte. Tem noite que nem relaxo até decidir o que vou usar. Às vezes acordo no meio da noite, mas é ótimo fazer algo de que ele vai se lembrar pelo resto da vida”, diz Dale.
Apesar do sucesso, o pai não planeja continuar com seu teatro no próximo ano. “Quero dormir como um bebê no primeiro dia de aula”.

Confiram algumas fotos AQUI

O tema Rubric. Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.