O Mundo Gira, A Lusitana Roda…

2011/02/01

A HOSPITALIDADE ARGENTINA

Filed under: Diário de bordo — trezende @ 10:20

Nem só de pinguins e castores vive Ushuaia. A cidade também tem seu histórico de raposas e lobos em pele de cordeiro.
Como a Terra do Fogo era (e ainda é) um ponto estratégico para a navegação, o governo de Buenos Aires decidiu colonizar a região sul para manter sua soberania.
Desta forma, transfere o presídio militar da Ilha dos Estados para Ushuaia. Em 1896 chega à “Penitenciária dos Reincidentes” o primeiro grupo de prisioneiros, formado por 9 mulheres e 14 homens. São eles quem iniciam a construção do prédio – obra que duraria 18 anos.
As 380 celas eram para um único preso, mas o lugar chegou a abrigar até 800. Só gente da melhor qualidade – desde criminosos em série até prisioneiros políticos.
Além de se ocuparem internamente – com oficinas de carpintaria, ferragens, mecânica e de sapatos – os prisioneiros labutavam na construção civil de Ushuaia. Em 1910 foi habilitado o “Trem do Fim do Mundo”, que ligava a prisão aos bosques do Parque Nacional da Terra do Fogo, onde eles cortavam a lenha utilizada na cozinha e na calefação do presídio.
Os que conseguiam fugir durante o “passeio” não iam muito longe. Apesar do clima gélido da região, usavam roupas pouco apropriadas. Quando se viam sós em plena selva morriam ou voltavam à vida quentinha do presídio.
A comunidade carcerária é um capítulo à parte. Chama a atenção a história do “Petiz Orelhudo” (Cayetano Santos Godino), um garoto que começou a cometer crimes bárbaros aos 8 anos de idade em Buenos Aires.
Especializado em assassinar crianças a golpes de machado, passou por um centro de reabilitação psiquiátrica até ser condenado a 16 anos de prisão em Ushuaia.
Além de sua incrível carreira fora das grades, Cayetano também tocou terror dentro da penitenciária. Pouco tempo após chegar ao local matou o gato considerado o mascote dos presos.
As circunstâncias de seu falecimento são pouco esclarecidas. O guia turístico do presídio fala em leucemia e uma morte aos 48 anos de idade, mas alguns sites dizem que ele foi asfixiado por seus companheiros de cela.
A história do petiz foi tema até de filme: o espanhol “El Niño de Barro”, de 2007.
O Presídio Nacional de Ushuaia funcionou até 1947, quando o presidente Juan Domingo Perón determinou seu fechamento alegando razões humanitárias. Até 1949 todos os presos já haviam sido transferidos.

Transferidas todas as informações da saga patagônica, esse diário de bordo fica por aqui. Espero que tenham gostado. Amanhã retornamos à nossa programação normal.

Vejam fotos AQUI

About these ads

4 Comentários »

  1. Tati, li todos os capítulos e deixei para comentar no “the end”.
    Aprendi, observei, viajei com você. Luxo ter, um dia, descoberto seu blog, sabia?

    Beijocas da fã.

    Comentário por Selma Barcellos — 2011/02/01 @ 21:19

  2. Olá…
    Li seu diário de viagem sobre Ushuaia… Acredito que vc deva visitar o “Fim do Mundo” no inverno.
    Estive em Agosto de 2010 e simplesmente me apaixonei pela cidade. Muita neve, frio… um charme. Fiz vários passeios, como o Trem do Fim do Mundo, O Lago Escondido, passeio de Moto Neve… enfim, todos os passeios disponíveis para aquela época do ano.
    Para o retorno, peguei um õnibus, que sai as 5:00 da manhã de Ushuaia, passa pela fronteira do Chile, ainda na ilha, atravessa o estreito de Magalhães por balsa, e vai até Rio Galegos, onde após 1:30 de espera peguei outro ônibus até El Calafate… Cheguei as 22:00h… foi muito cansativa, mas valeu muito a pena.
    Quero muito voltar lá novamente. As fotos q vc postou são iguais as que tirei na viagem, porém com muita neve… rsrsr..
    Abraços

    Comentário por Roberta — 2011/02/04 @ 10:48

  3. Lindo diario de bordo e fotos fantasticas. Parabens!! Estes destinos ja estavam na minha lista e com seus comentarios, eles subiram no ranking de interesse…afinal, com o clima ficando maluco tal qual tem se apresentado ultimamente, nao da pra saber quanto tempo mais teremos essas belezas naturais tais como elas sao.

    Comentário por Angelica — 2011/02/05 @ 14:42

  4. Boa Tarde: estive no mes passado com a minha família nesta regiao (Ushuaia e El Calafate) e fiquei muito impressionado com o que vi nesta cidade, fui premiado inclusive com neve que a muitos anos nao via cair e com os flocos bem grandes, mas o que mais me impressionou mesmo foi o presídio e engracado que ninguém fala ou sabe deste passado negro aí na Argentina, a nao ser mesmo os locais. Tenho interesse em receber seus ”posts”e assim poder viajar mais e como bem falou a Roberta no comentário 2: quero muito voltar lá novamente e quando for mais frio, só comentando até em trenó puxado por cachorros passeamos fora um ”esquisito jantar que era incluso no passeio numa construcao sem teto e com uma fogueira no centro bem no meio do mato”.
    Um abraco e até mais . . .
    Daniel Ordacowski.

    Comentário por Daniel Ordacowski — 2013/10/11 @ 19:23


Feed RSS para comentários sobre este post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O tema Rubric. Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: