O Mundo Gira, A Lusitana Roda…

2010/09/03

ELE TE FEZ DE PALHAÇO

Arquivado em: Folheando — trezende @ 11:19

Que Bozo era um palhaço sem-graça todo mundo sabe. Que o galã Luís Ricardo foi Bozo também. Que a Vovó Mafalda era homem, idem.
A novidade é que Bozo era um mentiroso patológico, traidor, ninfomaníaco e transformou a vida de uma mulher num inferno.
As revelações estão no recém-lançado “Sleeping with Bozo and Other Clowns” (“Dormindo Com Bozo e Outros Palhaços”), de Sandra Harmon, ex-mulher de Larry Harmon, criador e um dos 50 intérpretes da personagem nos Estados Unidos.
Para quem estranhou o título, a explicação de Sandra convence: “Bozo é apenas um dos palhaços com os quais dormi – apesar de nenhum dos outros usar maquiagem e nariz vermelho. Tive uma vida longa e feliz no show business, encontrei muitas celebridades e certamente fui pra cama com um bom número. Tenho várias histórias pra contar. Algumas engraçadas, outras nem tanto, mas todas verdadeiras”.
Sandra foi a segunda das quatro mulheres oficiais de Larry – e sua amante durante o primeiro casamento do ator. A união durou cerca de três anos, até Sandra flagrá-lo na cama com a secretária. “Ele mentia sobre tudo. Se comia dois filés, dizia que havia comido sete”.
O livro de Sandra desmascara inclusive o de Larry, que pouco antes de falecer – em 2008, aos 83 anos – lançou suas memórias, “The Man Behind the Nose” (“O Homem Por Trás do Nariz”).
Em sua autobiografia, Larry conta que o presidente Kennedy o nomeou Embaixador Internacional da Segurança, mas segundo Sandra, ele nunca trocou uma palavra com o ex-presidente americano.
Larry também relata uma passagem bizarra com canibais na Nova Guiné. Para provar que poderia sobreviver entre os canibais com alegria e gargalhada, ele tirou uma foto sorridente entre os selvagens. “Mas ninguém ali tinha cara de que estava para matá-lo”, diz Sandra.
Após as revelações da sra. Bozo, tudo faz sentido. Lembram-se das músicas que o Bozo costumava cantar? “Dá uma bitoca no meu nariz. Que você vai me fazer feliz! E na careca também! Cheira o cangote meu bem! Dá uma bitoca no meu nariz!”. Pelo visto, o bordão era, no fundo, uma arma de sedução.
O fato de não ser chegado a banho – “Chuveiro, chuveiro, não faça assim comigo. Chuveiro, chuveiro, não molhe o seu amigo” – não era empecilho na hora da conquista.
Já os amiguinhos que ingenuamente ligavam no inesquecível 236-0873 para ganharem a bicicleta na corrida do cavalinho mal sabiam que o verdadeiro número do telefone do Bozo era o 234-5678 (“Tá na hora de molhar o biscoito!”).
Depois das denúncias de Sandra, me sinto como a mulher do Tiger Woods.
Pena que Bozo não morou no Irã.

O tema Rubric Blog no WordPress.com.