O Mundo Gira, A Lusitana Roda…

2009/11/23

O DISFARCE PERFEITO

Filed under: Folheando — trezende @ 06:42

Segunda-feira é um dia ingrato. O clima pós-feriado e a proximidade do fim do ano só fazem piorar o sentimento de que o mundo é cruel.
Para aliviar esta sensação, vamos acrescentar um pouco de colorido ao pior dia da semana com a ajuda do livro “One Hundred Butterflies” (“Cem Borboletas”), lançado há cerca de um mês.
De autoria do fotógrafo Harold Feinstein e Fred Gagnon, reúne fotos estonteantes de variedades de borboletas encontradas ao redor do mundo e alguma informação sobre estes insetos.
As estampas das asas de uma borboleta são mais do que rostinhos bonitos. Apesar de impressionarem os olhos humanos pela beleza, o colorido tem sua função na natureza.
A boa aparência nada mais é do que uma técnica para atrair ou afastar uma presa, fingir-se de morta ou exibir-se para a fêmea.
Na semana passada, durante uma conversa com William Waack sobre sua entrevista-furo em Teerã com o presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, ele disse que a palavra em farsi (ou persa) para se referir a “mulher bonita” é a mesma usada para “diabo”.
Se isto também se aplica à realidade brasileira só os leitores podem dizer, mas pelo menos no reino das borboletas a curiosidade faz todo o sentido.

Confiram alguns exemplares que estão no livro:

As marcas vermelhas são um aviso para potenciais predadores. Elas indicam claramente que a borboleta é venenosa. Esta técnica – chamada de “aposematismo” – também é utilizada como pegadinha por borboletas não-venenosas, que aprenderam o truque a fim de ludibriar seus inimigos.

Também conhecida como borboleta-coruja por causa das duas manchas com aparência de olhos. O objetivo seria enganar o predador de maneira que ele pense que está diante de um bicho muito maior. Os biólogos, entretanto, não confirmam que a meta seja esta. É possível que os “olhos” sirvam como isca: é melhor que ataquem a parte de baixo da asa do que o corpo.

Quando esta variedade indiana está com as asas dobradas se esconde de todos os algozes no meio de folhas secas. Quando o perigo passa, pode se espichar e mostrar o azul de sua parte superior.

O colorido vibrante desta espécie de Madagascar também serve para alertar os predadores sobre sua toxicidade. Borboletas e mariposas são insetos da ordem “Lepidoptera”, que quer dizer algo como “asa escamada”. As asas são recobertas por escamas microscópicas que protegem o inseto da umidade e também formam lindas estampas.

Esta “Blue Morpho” usa sua iridescência para confundir. Se acuada, balança as asas rapidamente de forma a criar flashes que espantam os inimigos. Ela se alimenta do suco de frutas estragadas como manga, kiwi e lichia.

Muitas borboletas desenvolveram estratégias para evitar atrair a atenção, mas numa circunstância elas gostam de ser notadas: na época da reprodução. Esta variedade masculina da “Leopard Lacewings” quer mostrar que tem bons genes. As fêmeas desta espécie não são tão chamativas. Como não precisam impressionar seus pares, as asas femininas são nas cores marrom, preta e branca.

O tema Rubric. Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.