O Mundo Gira, A Lusitana Roda…

2009/08/31

BELEZA EXTERIOR

Filed under: Cultura inútil — trezende @ 09:21

wheregg

galinhaUm dos assuntos mais polêmicos na área da saúde alimentar é se o ovo faz bem ou mal ao coração. Há médicos que não veem problema em omeletes, gemadas ou ovos quentes no café-da-manhã, mas há os que consideram a gema uma entupidora de artérias.
Se não há consenso quanto ao conteúdo, o site “The Daily Green” resolveu deslocar a discussão para a forma e publicou 12 usos para a casca. Confiram a lista que MacGyver consultaria se estivesse aprisionado numa granja:

1. Fertilizante natural
A casca do ovo se decompõe rapidamente e fornece uma boa dose de cálcio e outros minerais ao solo;

2. Controla pestes do jardim
Espalhe cascas moídas ao redor de plantas e flores. Elas ajudam a combater pestes como lesmas, caracóis e taturanas sem o uso de pesticidas artificiais. Além disso, veados odeiam o cheiro de ovo. As cascas manterão todos os Bambis longe das begônias;

3. Café gostoso
Adicione cascas ao filtro ou ao coador e o seu café ficará menos amargo. O pó usado, misturado às cascas e ao filtro biodegradável é um ótimo adubo;

4. Mudas perfeitas
Na hora de iniciar o processo de germinação de alguma planta, encha as metades das cascas com terra preparada para plantio em vez de usar aqueles pequenos recipientes que têm a mesma finalidade;

5. Produto de limpeza “eco-friendly”
Use cascas de ovos trituradas e um pouco de água com sabão para limpar superfícies difíceis de serem alcançadas, como garrafas térmicas ou jarras fundas;

6. Artesanato
Esvazie um ovo cru e utilize a casca oca. Pinte ou decore seu ovo de Fabergè. Pedaços de cascas (naturais ou tingidas) também são usadas em mosaicos;

7. Molde culinário
A casca oca também pode ser usada para moldar sobremesas – gelatina ou mousse de chocolate – com um formato diferente. Depois de fria, retire a casca antes de servir ou leve à mesa com a casca para que os convidados tentem adivinhar o que há lá dentro;

8. Desentupidor natural
Sempre deixe uma porção de cascas moídas no filtro do sifão da pia. Os sólidos que porventura descerem se grudarão às cascas com facilidade;

9. Membrana-remédio
A membrana finíssima que se prende à casca também pode ser usada como solução caseira para alguns tipos de desconforto, como pequenos cortes ou unha encravada;

10. Tratar irritações cutâneas
Dissolva uma casca de ovo num pequeno vidro com vinagre de maçã e use a mistura para tratar pequenas irritações ou coceiras na pele;

11. Máscara barata
Num pilão, triture bem as cascas até obter um pó branco. Misture às claras e espalhe sobre o rosto. Deixe a máscara secar antes do enxágue;

12. O combustível do futuro?
Pesquisadores da Universidade de Ohio descobriram que as cascas de ovos podem ser a chave para a produção de combustível de hidrogênio. As cascas podem ser utilizadas para a captura de dióxido de carbono durante uma reação que gera hidrogênio.

Recordem-se também dos 12 usos para a mostarda

2009/08/30

VITRINE PARA CINDERELAS

Filed under: Mentes brilhantes — trezende @ 08:55

magicodeoz

pezinhoO clássico “O Mágico de Oz” – considerado um dos cem maiores filmes de todos os tempos segundo o “American Film Institute” – completa 70 anos em 2009.
As comemorações tiveram início no ano passado com um projeto que surgiu a partir de uma pergunta: “Se Dorothy vivesse no século 21, como seriam seus famosos sapatinhos vermelhos?”.
Para respondê-la, a distribuidora Warner Bros. e a fabricante de cristais Swarovski convidaram 17 dos mais importantes estilistas e marcas do mundo para recriar o sapato de rubi que Judy Garland usou no filme de 1939.
Manolo Blahnik, Jimmy Choo, Christian Louboutin, Moschino, Diane von Fürstenberg, Oscar de la Renta e até a marca da cantora Gwen Stefani, a “L.A.M.B.”, toparam o desafio.
O resultado foi bem curioso. Alguns, como de la Renta, criaram modelos clássicos que poderiam ser usados no casamento de uma prima. Outros, como Alberta Ferretti, parecem ter confundido Judy Garland com Carmen Miranda e transformaram o sapatinho de rubi em peça de figurino do filme “Priscilla, a Rainha do Deserto”.
O projeto é itinerante, já passou por algumas cidades americanas e foi lançado num evento de gala que abriu a Semana de Moda de Nova York em setembro de 2008.
A apoteose está prevista para o próximo 24 de setembro, em Nova York, quando alguns modelos serão leiloados. O lucro será revertido para a “Fundação Elizabeth Glaser Pediatric”, que cuida de crianças portadoras do vírus da Aids.
Quem dá mais?

A graça está AQUI

2009/08/29

COMENDO COM O INIMIGO

Filed under: A real do mundo real — trezende @ 10:15

paranoidbreakfast

bacteriaUm estudo internacional realizado pelo Conselho de Higiene no fim de julho, no Cairo, chegou à conclusão de que a cozinha é o lugar preferido pelas bactérias numa casa. O pano de prato é o maior vilão, com 86% de reprovação.
A pesquisa foi realizada em nove países: Egito, Arábia Saudita, Austrália, Alemanha, Índia, Malásia, África do Sul, Inglaterra e Estados Unidos.
Quando questionados, a maioria dos entrevistados imaginava que o item mais contaminado de seus lares fosse a descarga do banheiro, mas apenas 15% não passou no teste. De fato, as superficies da cozinha apresentaram duas vezes mais bactérias do que os vasos sanitários.
Nos Estados Unidos, 70% das esponjas de lavar louça analisadas falharam nos testes de higiene por apresentarem altos níveis de bactérias provenientes de fezes ou que podem causar infecções de pele.
A torneira da pia também é um criadouro de germes. Ao lidar com carne crua, por exemplo, a dona-de-casa lava a mão, mas não percebe que tocou na torneira para abri-la e se esquece também de desinfetá-la.
O terceiro lugar mais sujo da casa é o boxe do banheiro, que contém cem vezes mais bactérias do que o lixo. Depois vêm o pratinho do animal de estimação, o teclado do microondas, o controle remoto da TV, os interruptores de luz e a mesinha de trocar fralda do bebê.
Os controles remotos apresentam muitos germes porque além de roerem unha, muitas pessoas fazem banquetes em frente à TV e nunca lavam a mão. Ainda de acordo com o estudo, os interruptores do banheiro têm tantas bactérias quanto o lixo.
O conselho dos pesquisadores é que as esponjas de lavar louça sejam colocadas na máquina de lavar regularmente. Os panos de prato devem ser lavados no ciclo quente da máquina de lavar. Já o boxe do banheiro e as privadas devem ser desinfetados duas vezes por semana.
Além disso, eles frisam que apenas lavar as mãos não é eficaz nem no combate à gripe suína.

2009/08/28

TIM-TIM, RESSACA

Filed under: Cri-crítica — trezende @ 08:53

hangover1

rolofilme2“Se Beber, Não Case” é o azarão entre as estreias cinematográficas recentes. Sucesso de público nos Estados Unidos, alcançou o topo das bilheterias no final de semana em que entrou em cartaz.
No Brasil tem repetido o sucesso. E pensar que foi feito com alguns milhões de dólares considerados ninharia perto do que é torrado com os blockbusters.
Com um elenco desconhecido, “Se Beber, Não Case” narra o day after de uma noite que deveria ser uma despedida de solteiro em Las Vegas.
Qualquer outra informação sobre a história caracterizaria este texto como “spoiler”.
Mesmo com uma alongadinha de cena aqui, outra ali, o saldo é positivo. Mais uma prova de que uma história bem escrita vale mais do que investir em atores com cachês milionários ou efeitos especiais igualmente megalomaníacos.
Até o mistério envolvendo um dente é solucionado de forma caseira. O ator Ed Helms o perdeu quando era criança e colocou um implante. Às vésperas do início das filmagens, ele já havia planejado trocá-lo. O resto vocês descobrem assistindo ao filme.
Dentre as espécies de machos existentes na fauna humana, quatro estão bem representadas: o certinho em vias de subir ao altar, o babaca dominado pela namorada, o galã, e o melhor deles: o maluco beleza interpretado por Zach Galifianakis. Há também uma participação de Mike Tyson.
“Se Beber, Não Case” é uma boa oportunidade para identificarmos um roteiro bem-feito. A sequência que envolve o bebê é humor negro da melhor qualidade, mas resvalaria para um “Três Solteirões e Um Bebê” se não contasse com roteiristas atentos (Jon Lucas e Scott Moore) e um diretor sensato (Todd Phillips).
Já o título em português, como sempre, enfeita mais do que o necessário. Em inglês, “A Ressaca”. Simples assim.
As pândegas causadas por bebidas ou drogas continuam garantindo boas risadas para quem observa, ótimas viagens aos usuários, lucros para os traficantes e, neste caso, casa cheia para o cinema.
Se “Se Beber, Não Case” é mais uma apologia aos ilícitos, isso é assunto para outra conversa.

2009/08/27

A DESGRAÇA DO NILO

Filed under: Absurdos nossos de cada dia — trezende @ 09:25

nefertiti3

zumbiUma inglesa de 49 anos disputa com a nossa primeira-dama Marisa Letícia o posto da cara mais Frankenstein do planeta.
Em 20 anos, Nileen Namita já passou por 51 cirurgias e gastou cerca de R$ 600 mil. Ela acredita ter sido Nefertiti em vidas passadas – a rainha mais famosa do Egito desde Cleópatra . As intervenções têm como objetivo transformá-la numa estátua viva da egípcia.
Foram oito cirurgias no nariz, três implantes de queixo, uma levantada nos olhos, três liftings faciais, seis miniliftings faciais, dois preenchimentos de lábios, cinco cirurgias nos olhos e 20 outros acertos.
A “volta para o futuro” começou em 1987, aos 23 anos. Segundo Nileen, durante toda a infância e adolescência sonhava intensamente com a rainha. Tinha visões claras do lugar em que ela vivia, de seus servos e até o que ela comia. Então se consultou com parapsicólogos e descobriu que era reencarnação de Nefertiti.
Apesar de ter transformado o rosto numa maçaroca, diz que é uma felizarda por ter bons genes. “Não tenho celulite e nunca precisei fazer dieta. Como não gostaria de parecer falsa num corpo velho com uma cara nova, me alimento de maneira muito saudável. Ninguém acredita que tenho essa idade. Tenho três filhos e ainda aparento estar nos 25. Sempre que saio chamo a atenção de homens mais novos”.
Já que vive no centro cirúrgico, Nileen poderia aproveitar e operar o cérebro.
Zahi Hawas – secretário-geral do Conselho Supremo de Antiguidades do Egito e diretor das escavações das Pirâmides de Gizé – declarou estar disposto a receber a reencarnada no país. Promete preparar uma visita à zona arqueólogica de Tel el Amama, que é o local onde teria vivido Nefertiti.
Feita a cirurgia no cérebro, Nileen poderá se questionar se quer ficar tão parecida com a rainha egípcia. Corre o risco de ser embalsamada viva e se transformar em atração turística.

2009/08/26

GRANDE TEATRO TUPI

Filed under: Absurdos nossos de cada dia — trezende @ 09:09

shutup

megafoneNão é só Dilma Roussef que tenta se descolar da imagem de antipática fazendo barba, cabelo e bigode. A campanha para as eleições do ano que vem já começou faz muito tempo.
Não há palanque melhor do que o plenário do Senado – e plateia é o que menos importa. Além da forma e posição estratégicas, tudo o que se fala naquele púlpito é transmitido ao vivo, sem cortes. O povão não tem noção disso – e nem dinheiro para pagar a mensalidade da TV a cabo –, mas nossos eleitos sabem ser teatrais o suficiente para cavarem espaço no noticiário e fazer chegar ao eleitor distraído seu “espírito de luta”.
Enquanto o pau quebrava, Sarney tentou sair pela tangente discursando sobre o centenário da morte de Euclydes da Cunha. O presidente do Senado está na rua da amargura, mas faz o que pode para salvar o sobrenome da família.
Mercadante, além de revogar o irrevogável, fez questão de chamar Lula de “companheiro”. Quem não quer um “companheiro” presidente com 67% de aprovação popular e que pode decidir se Mercadante poderá concorrer ao Senado novamente pela sua legenda?
Já Eduardo Suplicy lembrou de seus tempos de atleta, subiu à tribuna e pediu a renúncia de Sarney levantando um cartão vermelho. Detalhe: Sarney não estava presente. Apesar da tentativa, o pai de Supla não é merecedor nem do Prêmio Shell de Teatro.
A cena, que já não convencia, piorou com a notícia dos jornais de hoje de que o ato foi estrategicamente calculado: “Avisado por sua assessoria que a cena não tinha sido registrada por alguns fotógrafos, o petista levantou mais algumas vezes o pequeno pedaço de cartolina vermelha”.
Suplicy, além de não poder ser considerado um bom ator, esteve pessimamente dirigido.
A conclusão é que muitos desses (pré) candidatos deveriam fazer como Belchior e simplesmente sumir. O cantor, mesmo com medo de avião, deu um jeitinho.

2009/08/25

FICOU, DANÇOU

Filed under: Mentes brilhantes — trezende @ 09:34

trackingguide

ampulhetaNum de seus artigos recentes na “Folha de S. Paulo”, intitulado “Morrer Não Dói”, o poeta Ferreira Gullar publicou um texto que eu gostaria de ter escrito.
Segundo ele, “a gente não morre a nossa morte; morre a dos outros. (…) O que dói é o medo de morrer, pois isso ainda é vida. Claro, só sofre quem vive, consciente, e daí concluímos que a morte é problema dos vivos. E o morto também. O que fazer com ele? Isso é ocupação dos que ficam, não dele, agora livre de tudo”.
O assunto é meio macabro, sem dúvida, mas o ponto-de-vista, perfeito.
É por causa dessa preocupação dos vivos que os serviços funerários estão cada vez mais criativos. Enquanto se discute onde, como e quando Michael Jackson descansará em paz, há famílias que optam pela cremação – muitas vezes a pedido do próprio falecido – e outras que prolongam o sofrimento com despedidas elaboradas.
Além do serviço oferecido pela “Celestis Inc” – aquela dos serviços funerários lunares –, há uma nova opção para os parentes saudosos. A empresa “Cremation Solutions” oferece urnas pessoais com a cara do morto. As urnas “combinam arte com a mais moderna tecnologia para criar uma relíquia familiar que será adorada por gerações”. Tudo o que eles precisam é de duas fotos do rosto do falecido – uma de frente e outra de costas.
Há duas opções: a normal – com capacidade para as cinzas de um adulto – e a mini – que guarda ¼ dos restos do falecido. O preciosismo sai por US$ 2.600 e US$ 600, respectivamente.
O fabricante avisa: “a urna pessoal não vem com cabelo. O couro cabeludo nu está pronto para receber uma peruca, o que também podemos providenciar”.
O site ainda fornece informações históricas sobre o ritual de cremar os mortos. Segundo ele, as cerimônias são realizadas há séculos – há registro de que os primeiros romanos eram adeptos 600 anos antes de Cristo.
As primeiras urnas que guardam cinzas foram feitas de argila e madeira. Depois, com a descoberta dos metais, começaram a surgir as de cobre e bronze. As que eram de argila viraram finas porcelanas e mestres-vidreiros passaram a ser contratados para criarem urnas para reis e rainhas.
Ferreira Gullar está coberto de razão. A morte é um problemaço para os que ficam.

Conheçam o site AQUI

2009/08/24

IMPRESSÃO E EXPRESSÃO FACIAL

Filed under: Matutando — trezende @ 08:53

bigodeminnie

tesouraO que Sarney, o falecido ACM e Mercadante têm em comum? A questão não é difícil, mas a resposta não vai na linha ideológica. É aparentemente mais fútil: os três têm bigode.
Há bigodes à la Hitler, à la Rui Barbosa, à la Salvador Dali, à la Dick Vigarista e outro que deu as caras semana passada: o irrevogável.
O bigode tem múltiplas funções. Em grande parte é usado para cobrir uma boca murcha – aparentemente o caso de Belchior ou do colunista Ancelmo Gois –, mas é também uma arma. Muitas vezes o objetivo do detentor do chumaço de cabelos abaixo do nariz é tirar o foco dos olhos. Não cruzando olhares com seu ouvinte, arquitetar e externar uma calúnia torna-se tarefa simples. Se o tufo de cabelos se assemelhar a uma taturana com vida própria, melhor. A mentira nem precisa ser tão cabeluda.
Se a fraude não estiver bem estruturada, o bigode ainda ajuda a mascarar as palavras e confundir o receptor da mensagem. Uma palavra pronunciada entre um sussuro e um bigode pode ser interpretada de diversas formas. Soa até como um espirro.
Os que usam o bigode com a meta de ludibriar os demais – independentemente de portarem um bigodinho lúdico como o de Dalí – se enquadram na categoria Dick Vigarista. Neste, o formato fininho propicia que os dedos percorram calmamente a extensão dos fios durante a elaboração do plano do mal.
Mas nem todos os Dick Vigaristas cultivam bigodes. Maluf nunca teve. Nem Collor. Pitta tampouco. O que não quer dizer que arranjar um bigode seja algo irrevogável. Deixar que os folículos capilares se libertem de suas casinhas é rápido. Se a situação exigir, eles crescem e tomam forma no intervalo de uma campanha eleitoral.
Tudo depende da conversa com Lula. Em último caso, consegue-se um postiço – esse sim revogável.

2009/08/23

SANTO PRODUTO

Filed under: Mentes brilhantes — trezende @ 09:33

jesuspills1

bibliaSurpresa para quem julgava que as religiões mais populares no Japão eram o Xintoísmo e o Budismo.
Para o júbilo de Bento XVI, também existem católicos fervorosos do outro lado do planeta. E eles estão prontos a aceitarem o corpo de Cristo – não apenas aos domingos.
O pragmatismo japonês se encarregou de transformar em pílulas o corpo de Cristo. A embalagem das cápsulas “Jesus Body” estampa frases como “Nova descoberta para ser mantida em segredo” e “Eu realmente esperei por isso”. “Isso” sai por cerca de 3 mil ienes (R$ 58).
Ainda de acordo com o rótulo, os ingredientes ativos são “Ultrasome” e “CinnulinPF”. Os nomes dos compostos soam como grego, mas alguém sabe explicar o que é, de fato, o Espírito Santo?
Antes que muitos imaginem que o quórum das missas ficará como o plenário do Senado às segundas, terças, quintas e sextas, a informação importante: “Jesus Body” não são wafers que substituem a hóstia, mas um produto emagrecedor. As cápsulas deixam qualquer um que tenha abusado de sushis e sashimis com um corpo dos deuses.
Se por algum motivo há quem ache não ser digno de receber as cápsulas em sua morada, mirem o garoto-propaganda: loiro, abdômen tanquinho, bíceps e tríceps definidos, bem como os abdominais oblíquos. Elas são comprovadamente milagrosas.
E mais: não é preciso dizer nem uma frase para serem salvos. O produto pode ser adquirido pelo site “Beauty Factory”.
Para alcançar o milagre da multiplicação dos músculos mais rapidamente, o ideal é que não se tome vinho pensando se tratar de água.

Visitem o site AQUI

2009/08/22

OLHANDO PARA A LENTE DA VERDADE

Filed under: Matutando — trezende @ 09:21

vuitton

cordaDia desses, assistindo a um dos inúmeros programas de auditório que povoam a TV nas tardes de sábado, a comprovação de que o sadismo humano não se restringe à infância – talvez a única fase da vida em que as verdades são ditas sem quaisquer ironias.
O quadro: “Verdadeira Idade” – algo na linha do “Antes e Depois”. A personagem: mulher depressiva que se descuida do visual e da saúde para cuidar da família. A dinâmica: anônimos tentam adivinhar a idade da vítima. O requinte de crueldade: fazê-la passar por uma transformação.
Longe da família, a eleita fica sob os cuidados da produção do programa por um mês. Entram em cena profissionais como cabeleireiro, maquiador, dentista, nutricionista, dermatologista, stylist e até professor de passarela.
Após funilaria e pintura, a escolhida reencontra a família. Entre lágrimas e o esmero para não estragar a chapinha, declara que dali para frente terá uma nova vida. O que a vítima talvez não tenha conhecimento é de que muito em breve tudo voltará a ser um inferno – possivelmente pior até do que era anteriormente.
Batizemos a situação de “parte pelo todo”. Ela é comparável à saída do salão de beleza, quando os cabelos estão idênticos aos dos comerciais de shampoo: esvoaçantes, sedosos e brilhantes. Na primeira lavada se transformam numa bucha orgânica e tomam formas que variam entre capacete, cogumelo e lã de carneiro.
Como retornar à realidade após ter vivido semanas como num conto-de-fadas? Como manter os quilos perdidos no spa ou a pele lisa sem tratamentos como máscaras de cristais e peeling? Feita a recauchutagem, quem vai fazer a manutenção do curto-circuito que irá surgir na parte elétrica?
Daí o espírito sádico do ser humano – a fulana que entrará em pane será a última a saber.
A ideia do quadro não é nova. De tempos em tempos ele ressurge com outro nome, apesar de a proposta ser sempre a de “consertar” a vida de alguém. A ressalva é que esse alguém geralmente é muito humilde e desprovido da noção de “day after”. Sofre de câncer, mas acredita que o álcool-gel dará conta do recado.
Nesse momento, a cruel franqueza infantil é característica perdida num passado muito distante.

2009/08/21

BONITINHO E ORDINÁRIO

Filed under: Cri-crítica — trezende @ 09:12

bruno

cameraGrande parte da imprensa especializada em cinema escreveu que “Brüno” – novo filme de Sacha Baron Cohen – é uma ironia ao universo da moda. Além das críticas, os roteiros de cinema dos jornais trazem a mesma informação.
Mas “Brüno” é muito mais complexo do que pretendem os críticos. E esse nível de simplificação é compreensível. Pode ser entendido como uma forma encontrada pela distribuidora ou por quem quer que seja para não chocar o público. Vendê-lo como uma reles crítica ao mundo fashion atrai mais espectadores às salas do que divulgar a sinopse verdadeira. A mais correta seria algo como:

“Brüno”
Elenco: Borat
Gênero: pornô
Sinopse: Durante as várias tentativas para voltar a ser famoso, repórter gay austríaco realiza uma cruzada contra a homofobia. O filme foi proibido na Ucrânia e a versão brasileira teve duas cenas cortadas
Censura: 18 anos

Sacha Baron Cohen segue a mesma linha incômoda, crítica e politicamente incorreta de Borat e Ali G, suas personagens anteriores. Os frames que separam a ficção da realidade são tão sutis que reconhecer se uma cena é ensaiada ou não é praticamente um jogo dos sete erros. É assim com a sequência envolvendo a jurada do programa “American Idol”, Paula Abdul, e a entrevista feita com o então candidato à presidência americana, Ron Paul.
Brüno quer “causar”. E para ser o austríaco mais famoso desde Hitler e o mais importante galã gay de Hollywood desde Schwarzenegger ele faz várias experiências. Tenta defender algum país nos confins do mundo – “George Clooney tem Darfour, o Sting tem o Brasil e o Bono, Aids” –; parte para promover a paz entre israelenses e palestinos;  pede a um suposto terrorista para ser sequestrado (“a Al Qaeda é tão 2001”); tenta ser heterossexual e adota uma criança africana.
Se há sutileza entre ficção e realidade, o mesmo não pode ser dito sobre o início de “Brüno” – é tão terno quanto Paulo Cesar Pereio. Vencida a etapa dos closes ginecológicos, começam as pérolas do humor negro. As aventuras de Brüno e seu bebê rendem as melhores gargalhadas do filme.
O clipe final, com a participação de Elton John, Bono Vox, Sting, Snoop Doggy e Slash dá a noção do prestígio de Sacha Baron Cohen.
Fica a expectativa sobre os próximos trabalhos do comediante. “Brüno” foi por pouco.

2009/08/20

O DIA DA FAXINA

Filed under: Mentes brilhantes — trezende @ 09:52

brokenheart

alvoMais uma da série dor-de-cotovelo. Depois de escrever o obituário do ex-relacionamento no site “Relationship Obituaries” (“Obituários de Relacionamentos”), o segundo passo é se livrar de quaisquer objetos que lembrem o malfadado enlace.
O “Museum of Broken Relationships” (algo como “Museu dos Corações Partidos”) existe virtual e realmente.
A ideia surgiu há três anos, quando um casal de artistas croatas – Olinka Vistica e Drazen Grubisic – se separou e encontrou uma maneira criativa para exorcizar suas dores. Eles reuniram algumas peças pessoais – e de amigos que também haviam se separado – e criaram o museu e o site.
A criatividade fica por conta do conceito. O museu é itinerante e em cada cidade que passa convida os visitantes a doarem seus próprios objetos. Cada um deles é acompanhado de uma pequena explicação do por quê de ter sido doado.
Além de clássicos como bichinhos de pelúcia, alianças, porta-retratos, cartas de amor e vestidos de noiva, há itens bem mais inusitados.
De um namoro de dez meses sobrou uma garrafa d´água lotada de bitucas de cigarro e a explicação: “nós nos prometemos que depois que o frasco estivesse cheio pararíamos de fumar”. Ou ainda o celular resultante de uma relação de 300 dias: “Ele me deu o celular dele para que eu nunca mais ligasse”.
Mas a peça para a qual todos voltam olhares é uma prótese de perna doada por um veterano de guerra a uma enfermeira pela qual se apaixonou: “A prótese durou mais do que o nosso amor. Aparentemente, era feita de um material melhor”.
Até 31 de agosto o “Museum of Broken Relationships” estará na cidade de Kilkenny, Irlanda.

Visitem o museu AQUI

2009/08/19

A GASTRONOMIA DO CRIME

Filed under: A real do mundo real — trezende @ 09:40

celularabobrinhas

bandidoOntem pela manhã, no início do ritual jornalístico diário, duas fotos me desejaram bom dia de um jeito meio estranho.
A primeira, publicada na capa do UOL, tinha um visual interessante: estampava centenas de abobrinhas recheadas com cocaína. A notícia dizia que os legumes foram apreendidos no aeroporto da República Dominicana e seguiriam para Nova York.
Percorrendo a galeria de fotos, me deparei com outra imagem tão chocante quanto: sanduíches de celular. As guloseimas haviam sido encontradas pela Polícia Militar de Campo Grande (MS) durante uma revista num presídio feminino.
Longe de ser uma tendência culinária, os artifícios usados pelos traficantes para disfarçar seus carregamentos têm se mostrado cada vez mais elaborados e audaciosos. Se não se utilizam do próprio corpo ou dos alimentos, vale até pombo-correio.
Quando ainda matutava sobre a criatividade dos fora-da-lei, a notícia que faltava para me acordar de vez: segundo um estudo realizado pela Universidade de Massachusetts, cerca de 95% das cédulas de dólar que circulam em Washington apresentam traços de cocaína.
Os pesquisadores também analisaram cédulas em mais de 30 cidades de cinco países. No Canadá a média é de 85% de cédulas contaminadas. No Brasil, a avaliação de dez notas concluiu que 80% delas tinham traços de cocaína (as cédulas ficam com restos de pó quando são usadas como canudo para inalar a droga ou quando notas limpas ficam juntas às contaminadas).
Está passando da hora de o mesmo estudo ser feito em legumes, frutas e verduras do Ceagesp, mercadões municipais ou padarias brasileiras. Serão reveladas receitas de fazer inveja a chefs do calibre de Ferran Adrià.
Crise econômico-financeira, desemprego, estresse da vida moderna, fracasso das relações afetivas. Sobram fatores aos quais creditar o uso cada vez mais frequente de drogas. Onde tudo isso vai dar ainda é uma incógnita. Um abacaxi gigantesco para as gerações futuras.

2009/08/18

FAZEMOS QUALQUER NEGÓCIO

Filed under: Mentes brilhantes — trezende @ 09:09

worstjob

moneyApesar do alardeado crescimento nunca antes visto na História deste país, estar empregado hoje é algo para privilegiados – se o salário resiste ao final do mês já é outra história.
É certo que alguns dão mais sorte do que os outros e podem se dar ao luxo de ligar para o avô e pedir uma forcinha para o namorado.
Mas agora quem não pertence à família Sarney – e nem namora alguém do clã – pode recorrer ao “Sarney Jobs”, um site em que qualquer desempregado pode oferecer seus préstimos ou solicitar uma vaga ao presidente do Senado.
No ar desde a primeira semana de agosto, o site já conta com 3.500 solicitações de emprego. O autor é Guilherme Moreira, um estudante de Sorocaba.
As manifestações, bem-humoradas, variam entre pessoas que listam habilidades como a de “laranja profissional”, “aparador de bigode”, “locutor de quadrilha de festa junina”, “lustrador das caras de pau do Congresso” ou “pipoqueiro com milho especial para ratos”. Há também uma infinidade de pizzaiolos.
Mas a maioria faz piada com o parentesco e se identifica como neta, namorado do namorado da neta, filha bastarda, cunhado e vários filhos “pedindo bença ao padim”.
Numa breve lida, recados como: “Falei prá minha mãe que iria trabalhar no Senado. Ela respondeu: Tá procurando Sarney prá se coçar!!!”; “Eu meresso um enprego no cenado, purque assin como eles num sei fase nada, num so arfabetizado, maiz robá qui nem eles eu apremdo rapido!”; “Sou primo do cunhado do namorado da neta desse sem-vergonha. Já deixei o bigode crescer. Quero um emprego no Senado, mas não quero trabalhar”.
A melhor solicitação é a de um que internauta que assina como Marisa. Ele diz ter “habilidades manuais”, ser “trilingue, cabeleireira de formação” e ter conhecimentos na elaboração de “tererê”. Marisa solicita a Sarney “salário inicial de R$ 25 mil, mais passagens aéreas, botox e ajuda moradia”.

Peçam emprego AQUI

2009/08/17

BOND BOCA

Filed under: Mentes brilhantes — trezende @ 08:56

dentemouse

bocaPara quê ter um brilhante incrustado no dente se você pode tatuar algo nele?
A moda de furar a presa e decorá-la com uma jóia começou entre os rappers americanos – Lil Wayne, por exemplo, se sorrir no escuro ilumina o ambiente sem necessidade de lanterna.
Mas esses dias de homem-vaga-lume estão contados. Depois do piercing dentário, uma boa novidade para Lil Wayne é a tatuagem.
Na verdade, a tatoo não é feita diretamente, mas impressa em uma coroa de porcelana que depois de pronta é encaixada ao redor do dente. O trabalho, realizado em alguns consultórios americanos, geralmente é feito na parte de trás da boca, nos molares. O paciente pode escolher entre posicionar o desenho para a língua ou para a bochecha.
A vantagem é que ao contrário da tatuagem tradicional, se a pessoa mudar de idéia – ou de namorado – pode retirar o desenho em poucos minutos no consultório. Nada de tratamentos à base de laser ou correções-tampão com grafismos como dragões ou cavalos-alados.
Na galeria de fotos do site, exemplos de alguns eleitos para compartilhar a pasta de dente, o Cepacol, a folhinha de alface e o fiapo de manga: Lady Di, Rainha Elizabeth II, David Beckham, Amy Winehouse, Abraham Lincoln, Elvis, David Letterman, Tiger Woods ou simplesmente Mickey Mouse.
O capricho é para bolsos estrelados: varia entre US 110 e US$ 500. Se a conta bancária demanda moedas a mais, a mente de quem procura o tratamento precisa mesmo é de alguns parafusos a menos.

Mais informações e fotos AQUI

2009/08/16

PESQUE-PAGUE

Filed under: Absurdos nossos de cada dia — trezende @ 09:29

sereia2

BWBW1107O que quer que seja que os israelenses estejam tomando, é bom que seja suspenso. Os efeitos colaterais estão vindo sob a forma de alucinações.
É que em Kiryat Yam, cidade costeira perto de Haifa, relatos do aparecimento de uma sereia têm sido comuns nas últimas semanas.
Segundo o jornal “Israel Hayom”, um dos primeiros a avistar a Ariel israelense foi o soldado aposentado Shlomo Cohen. Duas semanas atrás, ele conta que estava com os amigos quando, de repente, viu uma mulher se movendo estranhamente pela areia. De início pensou que ela estivesse se bronzeando, mas quando se aproximou ela entrou na água e sumiu. “Ficamos chocados porque vimos que ela tinha cauda. Pelo menos cinco de nós testemunhamos a cena e não pudemos acreditar”.
A idade desse grupo de senhores não foi revelada, mas é provável que a partida de dominó não estivesse das mais disputadas.
Entretanto, os aposentados não foram os únicos a mirarem a Pequena Sereia. De acordo com o porta-voz na Câmara Municipal de Kiryat Yam, os outros relatos dão conta de que se trata de uma criatura metade moça, metade peixe que pula como um golfinho. Ela surge geralmente durante o pôr-do-sol, dá umas piruetas e desaparece.
Se não é o Riccelli nem Iemanjá, será mesmo uma sereia?
Não é difícil adivinhar como a história termina: a cidade está oferecendo 1 milhão de dólares para quem conseguir documentar através de fotos a existência da sereia, mas nega que a recompensa seja uma forma de atrair turistas.
A piadinha dos habitantes de Kiryat Yam é mais velha do que a do elefante caiu na lama, mas como veem, ainda causa o efeito desejado.

2009/08/15

BALEIAS TÊM OUVIDO?

Filed under: Absurdos nossos de cada dia — trezende @ 09:51

baleia

cordaSabem por que vira-e-mexe a baleia do Twitter tenta se suicidar? Porque ela não aguenta a quantidade de gente escrevendo besteira. Há dias em que ela pensa em jogar tudo para o alto – ou para o fundo, neste caso.
Uma pesquisa divulgada pelo jornal britânico “Telegraph” concluiu que quase a metade (40,45%) dos posts do Twitter são “conversas inúteis” – algo como “comendo um sanduíche”.
Foram analisados 28 mil tweets em duas semanas. Em segundo lugar ficaram as conversas estilo MSN, como “o que você está fazendo hoje à noite?”, com 37,55%. A moda de “espalhar notícias” vem em terceiro, seguida de “auto-promoção” ou publicidade e spams.
Um dos maiores responsáveis pelas tentativas de suicídio da baleia é Ashton Kutcher. O ator é o campeão em número de seguidores – são mais de três milhões. A quantidade de pessoas interessadas no que Ashton está fazendo é maior dos que seguem a CNN – que tem cerca de dois milhões e meio.
A relação de Ashton Kutcher com o Twitter virou até motivo de piada. O ator não é capaz de ir até a esquina sem dar satisfação aos seus seguidores. Sua popularidade é ancorada, em parte, nas citações à mulher, Demi Moore: “Estou vendo minha mulher passar meu terno só de lingerie. Eu amo Deus! Shh… não conte para ela”. E a foto em que Demi Moore aparece só de calcinha branca caiu na rede.
No Brasil, é o espírito provinciano o causador do desgosto da baleia. Luciano Huck e Marcelo Tas lutam pelo lugar de Ashton Kutcher. Vale até realizar promoções entre os seguidores para alcançar maior popularidade.
Huck – com os pouco mais de 500 mil seguidores arrrebanhados à custa de sorteios – publica tweets como “Delícia de dia dos pais!!! Ganhei presente, desenho, beijos!!! Coisa boa. Agora é hora de pizza!!!!”.
Já o perfil de Marcelo Tas – com cerca de 243 mil seguidores – é bem mais informativo. Há dicas de artigos e links interessantes, além de chamadinhas sobre o “CQC”.
O Twitter também virou moda entre os políticos, caso do senador Aloizio Mercadante e de José Serra. A princípio, pelo conteúdo das mensagens, o perfil do governador de São Paulo parece falso: “Passar uma noite e um dia em Salvador é uma delícia, mas dá vontade de gazetear o trabalho e ficar mais um pouco”.
Assim a baleia não aguenta.

2009/08/14

ÓDIO NO CORAÇÃO E NA FEIRA

Filed under: Cultura inútil — trezende @ 09:27

tomatoevil

bandidoPoucos alimentos são tão polêmicos quanto o tomate – a controvérsia vai além da confusão inicial entre ser fruta ou legume, ele ou ela.
Em março, num texto sobre salmonela, a informação de que o tomate é altamente suscetível à bactéria. Basta passar certo tempo sob o sol escaldante e depois ser mergulhado em água fria – e contaminada com salmonela – para absorver o monstro.
Dois meses depois o assunto foi o tomate “Intense”, recém-chegado às prateleiras inglesas. Produzido na Holanda, sua peculiaridade é evitar que o suco liberado pela fruta deixe o sanduíche com gosto e aparência de papelão molhado. A “suculência” virou motivo de discussão entre consumidores e chefs de cozinha.
Agora a descoberta do site “Tomatoes Are Evil” (“Tomates São Maus”), mais uma dose de cultura inútil em nossa vida.
Para provar a tese, o autor selecionou algumas reportagens – como a de uma mulher morta por alergia ao fruto em 2004, na Inglaterra – e fotos. Numa delas, durante jantar entre Obama e Joe Biden, o tomate aparece fora do sanduíche.
A parte interativa traz a enquete “Que outro vegetal é do mal”? Ervilha, couve-de-bruxelas, milho verde, cogumelo, batata, pepino, abobrinha, pimenta, nabo, cebola, alho-poró, berinjela, espinafre, repolho? O páreo é difícil, mas a pimenta é a resposta mais óbvia.
Há ainda uma relação de receitas sem tomate, 23 pôsteres com o fruto inserido em diversas situações e opções para os ociosos de plantão – praticar tiro ao tomate ou criar uma cara para o fruto – como essa versão que criei acima. E, claro, há uma lojinha com camisetas à venda.
Se os frutos são maus é uma questão. Certeza mesmo só a de que eles são ótimos podres, jogados com boa mira na turma do mal que conhecemos muito bem.

Vejam o site AQUI

2009/08/13

SALVE! SALVE!

Filed under: Matutando — trezende @ 10:13

macacos

mascarasA execução do Hino Nacional brasileiro antes de uma partida de futebol ou outro evento esportivo desperta meus instintos mais primitivos.
É o ápice da nossa hipocrisia. Como num passe de mágica, todos se orgulham de sua brasilidade nagô.
Após percorrer lentamente os rostos dos jogadores, a câmera passeia pelo estádio mostrando os torcedores. Estes, invariavelmente com a letra do hino na ponta da língua, adquirem um ar de seriedade, fecham os olhos e até levam a mão ao peito.
Os jogadores, coitados, sofrem com a síndrome do me-engana-que-eu-gosto predominante na cena. Jogando ou não em times do Brasil, os atletas são constantemente cobrados por não demonstrarem amor pelo país.
Ai daqueles que ficam mudos durante o Hino Nacional. Afinal, pela próxima hora e meia serão a “pátria de chuteiras” – a breguice da expressão é apenas outro componente desse triste retrato.
Durante os segundos que separam o início do fim do hino, de olho nas imagens e boquiaberta com tanto patriotismo, me pergunto onde posso encontrar tanto brasileiro orgulhoso no dia-a-dia. Dentro do metrô lotado? Na fila do SUS? Em alguma favela, esquivando-se das balas perdidas? Concluo que devam estar todos no estádio.
Ainda admirada com aqueles seres fantasiados de brasileiros, algumas perguntas se tornam inevitáveis: quem vai contar para eles que foram descobertos novos atos secretos, que Paulo Duque arquivou as representações contra Sarney e Arthur Virgílio ou que Dilma perguntou à ex-secretária da Receita se ela “podia agilizar a fiscalização do filho do Sarney”?
Será que essas informações seriam capazes de despertar os instintos mais primitivos destes patriotas?

2009/08/12

DA FANTASIA AO PESADELO

Filed under: A real do mundo real — trezende @ 09:06

merkel

coroaA Alemanha passará por eleições gerais em 27 de setembro. E agora, na reta final, a campanha está pegando fogo.
Angela Merkel é o alvo preferido. Ganhou até um livro, “Miss Tschörmäine”, uma biografia em quadrinhos que mostra uma chanceler simpática, mas meio desajeitada.
Já a famosa foto do decote de Merkel durante visita à ópera em Oslo no ano passado virou arma nas mãos dos adversários. A candidata conservadora Vera Lengsfeld, da União Democrata-Cristã, a acusa de abusar da sensualidade para atrair eleitores. Há poucas semanas espalhou cartazes como esse aí em cima com a frase: “Nós temos mais a oferecer”.
Se a semelhança no governo for a mesma que notamos fisicamente, os alemães trocarão seis por meia dúzia.
De quebra, um partido faz graça com essa e várias outras situações da História alemã. O “Die Partei” (“O Partido”, em alemão) define-se como “conservador, liberal, de esquerda e um pouco ecológico”.
Fundado em 2004 pela equipe editorial da revista de humor “Titanic”, usa um dos comediantes mais conhecidos do país, Hape Kerkeling, que interpreta Horst Schlämmer.
Utilizando o bordão “Yes, Weekend” (“Sim, fim-de-semana”), ele promete reconstruir parte do Muro de Berlim, fornecer cirurgia plástica gratuita para todos, renda mensal de 2.500 euros (R$ 6.600) para todos desde o nascimento, levar duas equipes para a Copa do Mundo na África do Sul, abolir a águia como símbolo nacional e substituí-la pelo “coelho federal” e transformar a Alemanha Oriental numa reserva ambiental povoando-a com os aposentados do país.
Apesar de se mostrar como paródia, o “Die Partei” participou das eleições gerais de 2005, recebeu 18 mil votos e nos últimos cinco anos adotou todo o aparato de uma entidade política real.
Tudo muito engraçado, mas os alemães estão brincando com fogo. O risco de confundirem ficção e realidade pode fazer com que elejam Horst Schlämmer e transformem a Alemanha em Brasil.

Próxima Página »

O tema Rubric. Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.