O Mundo Gira, A Lusitana Roda…

2009/06/29

A ARTE QUE IMITA A VIDA

Filed under: Mentes brilhantes — trezende @ 09:04

feto4

lampadaNão é exatamente por honra ao mérito que um brasileiro vira tema de reportagem no exterior. Grosso modo, ou matou ou morreu.
Portanto, quando um dos nossos marca um gol temos de comemorar e divulgar o feito. Esse é o caso de Jorge Lopes, personagem de uma matéria publicada na última sexta-feira pelo jornal britânico “Daily Mail”.
Jorge Lopes faz doutorado em design no Royal College of Art em Londres e é o pioneiro no uso de uma técnica que permite às mães ansiosas terem a exata noção do bebê que está para chegar.
Através da conversão de dados do ultrassom e de ressonância magnética, ele cria um molde de gesso do embrião em 3D e em tamanho natural. O método, quase artesanal, chama-se prototipagem rápida.
Jorge Lopes não é um calouro nesse assunto. Coordenador do Laboratório de Modelos Tridimensionais do Instituto Nacional de Tecnologia, usa a prototipagem para as peças do Museu Nacional do Rio de Janeiro.
Ele utiliza a mesma técnica para reconstituir parte do acervo do museu. Um exemplo é a estatueta de Osíris – deus egípcio da morte e da vegetação. Jorge também foi responsável pela reprodução do crânio de Luzia – considerada a mulher mais antiga das Américas e que viveu há aproximadamente 10 mil anos.
Patrocinado pelo governo brasileiro, o uso da prototipagem para fetos é o tema da tese de doutorado de Jorge no Royal College of Art, que começou sua pesquisa com múmias, passou para dinossauros e evoluiu para os fetos.
Parte das peças integra uma exposição inaugurada nesta sexta-feira no Royal College of Art.
Apesar de ser o sonho de qualquer grávida curiosa, a ideia ainda não está sendo usada com fins comerciais. Em Londres, a prototipagem é testada com algumas pacientes do orientador de Jorge. No Brasil, o foco da pesquisa é ajudar no estudo da má-formação dos fetos.

O tema Rubric. Blog no WordPress.com.