O Mundo Gira, A Lusitana Roda…

2009/06/04

ABSOLVIÇÃO CIENTÍFICA

Arquivado em: Folheando — trezende @ 10:21

nap

clockSe você é daqueles que se sente constrangido em falar que dorme depois do almoço, aqui está a chave das suas algemas: “Take a Nap! Change Your Life” (“Tire Uma Soneca! Mude Sua Vida”), de Sara Mednick, PhD e pesquisadora de Medicina do Sono da Universidade de San Diego, na Califórnia.
Mais do que servir como álibi, ele desmistifica a ideia de que dormir à tarde é tarefa para preguiçosos. Segundo Mednick, pessoas que dormem por 30 minutos pelo menos três vezes na semana têm 37% menos chances de terem um ataque cardíaco.
Outros benefícios de uma esticada depois do almoço são:

- Melhora a atenção e a produtividade no trabalho em 100%;
- Aguça o pensamento, o que fará com que a pessoa tome decisões mais ponderadas;
- Tem efeito rejuvenescedor porque regenera as células da pele;
- Aumenta a libido;
- Ajuda a perder peso pois altera o metabolismo de substâncias químicas ligadas ao apetite;
- Reduz o risco de ataque cardíaco, derrame, batimentos irregulares do coração, pressão sanguínea e outros problemas cardiovasculares;
- Melhora o humor ao banhar o cérebro de serotonina;
- Favorece a habilidade para tarefas motoras;
- Ajuda a corpo a processar melhor carboidratos, o que reduz o risco de diabetes;
- Aguça os sentidos fazendo com que a pessoa perceba o que é realmente importante em seu ambiente;
- Auxilia o cérebro a ser mais criativo;
- Desperta a ocorrência natural de um hormônio que bloqueia os efeitos destrutivos gerados pelo estresse;
- Estimula o aprendizado;
- Ataca o poder de drogas como a cafeína e o álcool de alterar o humor e o nível de energia;
- Alivia enxaqueca;
- Melhora o sono da noite.

Mas as pessoas devem cochilar em horários diferentes, já que têm ciclos de sono distintos. A hora ideal para adolescentes e jovens adultos – que geralmente vão para a cama tarde e acordam cedo – é por volta das quatro da tarde. Já pessoas mais velhas, é recomendável entre uma e três da tarde.
Em um dos vários testes que realizou, Mednick estudou a relação entre cochilo e memória. Dividiu os voluntários em três grupos: os que tiraram uma soneca, os que receberam uma xícara de café (200 mg de cafeína) e os que tomaram placebo. Após serem submetidos a uma lista de tarefas, os resultados apontaram que os bebedores de café tiveram melhor performance que os do placebo. Já os dorminhocos se saíram muito melhor em todas as atividades.
A autora também dá dicas para um bom cochilo e ensina 16 técnicas para pegar no sono.
Uma das mais importantes é que a soneca não seja interrompida. Portanto, para não se preocupar em perder a hora, o melhor é colocar o relógio para despertar.
Bons sonhos.

O tema Rubric. Blog no WordPress.com.