O Mundo Gira, A Lusitana Roda…

2009/02/21

O RINGUE DE CADA UM

Filed under: Cri-crítica — trezende @ 09:58

 

wrestler3

 

camera2“O Lutador” – que está sendo vendido pela imprensa como o retorno triunfal de Mickey Rourke às telas – é um filme intrigante.

Sujo, escuro, barato, com uma história bem amarradinha e sem enrolação. Curto para os padrões épicos de hoje – em que o normal são os filmes durarem três horas –, “O Lutador” vai bem em 1 hora e 40 minutos.

Ganhador do Leão de Ouro no Festival de Veneza do ano passado, tem Mickey Rourke como representante no Oscar. O astro de “9 1/2 Semanas de Amor ” concorre na categoria Melhor Ator e já levou o Globo de Ouro de melhor ator dramático e um Bafta, o Oscar inglês.

Credenciais, portanto, não faltam ao filme de Darren Aronofsky. Merecidas.

Rourke é Randy, um lutador de telecatch que ficou famoso na década de 80 e que agora, 20 anos depois, tem de encarar o ostracismo, o envelhecimento e o saldo de uma vida de exageros.

A vida de Randy é um raio-x da rotina de inúmeros frequentadores de academia. Com a vaidade – física ou a da competição – levada às últimas consequências, recorre-se a tudo: bombas, bronzeamento artificial e tintura no cabelo.

Robert Siegel, o roteirista, teria todos os elementos para transformar “O Lutador” num filme sentimentaloide sobre um astro decadente que começa a enxergar a cara da morte no horizonte. Mas opta pelo caminho mais inteligente. Além de não tratá-lo como coitado, mostra que a própria personagem é ciente de que passou a vida almoçando grátis. Um dia a conta chegaria.

Mickey Rourke está perfeito – até porque o filme é quase sua biografia. Entre 1991 e 1995 o ator deixou a carreira de lado para lutar boxe. Envolveu-se com tudo que é droga e se machucou. Tanto, que é fácil entender porque está tão destruído aos 56 anos. As plásticas e as evidentes aplicações de botox do ator fazem Randy ainda mais real. Apesar da aparência de tia velha de megahair, Rourke está muito sensual e com um excelente preparo físico.

Mas a vida de Mickey Rourke não é o único eco de realidade em “O Lutador”. Scott Siegel – que faz um traficante que vende esteroides, Viagra e até cocaína na academia de Randy – foi preso na semana passada em Nova York acusado de… posse e tráfico de esteróides.
A vida imitando a arte ou a arte imitando a vida?

Mas a dúvida que permanece é se Mickey Rourke leva ou não o Oscar. A brilhante personificação de Randy será banalizada porque o ator não teria feito grandes sacrifícios para levar às telas seus próprios dramas? Amanhã teremos a resposta.
Então, aproveitem o dia de hoje para tirarem suas conclusões. Curtam a música de Bruce Springsteen e as cenas de Randy como atendente de balcão de frios – as melhores do filme.

 

O tema Rubric. Blog no WordPress.com.